Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

segunda-feira, 2 de março de 2015

Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo. Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder para aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos.
Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos.


-Charles Chaplin-

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Uma vez um homem se aproximou de Buda e perguntou: "O mundo está tão cheio de desespero, as pessoas estão vivendo na miséria...
Como você pode permanecer sentado em paz, silêncio e alegria?"
Buda respondeu:
Se uma pessoa está sofrendo, com febre, o médico deve deitar ao seu lado e sofrer também?
O médico, por compaixão, precisa se deixar infectar, se deitar ao lado do paciente e ter febre?
Isso irá ajudar o paciente?
Antes, havia apenas uma pessoa doente, mas agora haverá duas - o mundo estará duplamente doente.
O médico não precisa estar doente para ajudar o paciente, ele precisa estar saudável.
Quanto mais saudável ele estiver, mais ele poderá ajudar."


Buda

sábado, 14 de fevereiro de 2015

"A sua mente fica perturbada pensando nas imperfeições dos outros.
Deixe as imperfeições dos outros apenas para eles,
deixe que eles cuidem disso.
Cuide da sua própria mente. Cuide das suas próprias
imperfeições e isto é o bastante".


Sri Sri Ravi

Armadilhas do Ego

"Se você acha que é mais “espiritual” andar de bicicleta ou usar transporte público para se locomover, tudo bem, mas se você julgar qualquer outra pessoa que dirige um carro, então você está preso em uma armadilha do ego.

Se você acha que é mais “espiritual” não ver televisão porque mexe com o seu cérebro, tudo bem, mas se julgar aqueles que ainda assistem, então você está preso em uma armadilha do ego. Se você acha que é mais “espiritual” evitar saber de fofocas ou noticias da mídia , mas se encontra julgando aqueles que leem essas coisas, então você está preso em uma armadilha do ego.

Se você acha que é mais “espiritual” fazer Yoga, se tornar vegano, comprar só comidas orgânicas, comprar cristais, praticar reiki, meditar, usar roupas “hippies”, visitar templos e ler livros sobre iluminação espiritual, mas julgar qualquer pessoa que não faça isso, então você está preso em uma armadilha do ego. Sempre esteja consciente ao se sentir superior. A noção de que você é superior é a maior indicação de que você está em uma armadilha egóica.

O ego adora entrar pela porta de trás. Ele vai pegar uma ideia nobre, como começar yoga e, então, distorce-la para servir o seu objetivo ao fazer você se sentir superior aos outros; você começará a menosprezar aqueles que não estão seguindo o seu “caminho espiritual certo”. Superioridade, julgamento e condenação. Essas são armadilhas do ego."

 Mooji

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

"Até você tornar-se consciente, o inconsciente irá dirigir sua vida, e você irá chamá-lo de "DESTINO ". -Carl Jung-
"(...) Mas a mão é um meio para entrar em relação não só com os humanos, mas também com a natureza. Quando abris a janela ou a porta, de manhã, habituai-vos a saudar toda a natureza, as árvores, o céu, o sol, erguei a mão, pelo menos a vossa mão etérica, e dizei «Bom dia!» a toda a criação.

Perguntar-me-eis: «Mas isso tem utilidade? Serve para alguma coisa?» Sim, serve para começar o dia com um ato essencial: ligar-se à fonte da vida. Em resposta à vossa saudação, toda a natureza também se abrirá a vós, enviar-vos-á forças para todo o dia.

É tempo de compreenderdes que tendes um trabalho a fazer com o vosso pensamento, com o vosso amor, para que a natureza se abra a vós. Experimentai: quando vos aproximardes de um lago, de uma floresta, de uma montanha, parai um momento e acenai-lhe com a mão.

Sentireis que, interiormente, algo se equilibra, se harmoniza, e muitas incertezas e incompreensões desaparecerão em vós muito simplesmente porque decidistes saudar a natureza viva e as criaturas que nela habitam. Tocai simplesmente uma pedra com amor e ela já não será a mesma: aceita-vos, vibra em uníssono convosco, também ela vos ama.

Sim! Tudo na terra é vivo e cabe-vos a vós saber como trabalhar para que essa vida venha até vós. No dia em que souberdes manter uma relação consciente com a criação, sentireis a verdadeira vida penetrar em vós."


Omraam MIkhaël Aïvanhov
"Um jovem monge perguntou ao Mestre: “O que faço para me libertar?
O Mestre responde: “E quem o pôs no cativeiro?”


Ensinamento Advaita
"A verdade é que ninguém sabe realmente o que se passa dentro do outro.
Ninguém conhece na íntegra os seus caminhos.
Ninguém sabe dos seus risos
Ninguém sabe das suas lágrimas
Ninguém sabe o que o levou a tomar essa ou aquela decisão...
Tudo o que se sabe são meras suposições.
Então jamais julgue a ninguém. Até porque como pobres humanos que somos não estamos capacitados a exercermos juízo sobre a vida de ninguém.
Tudo o que podemos fazer é amarmos uns aos outros e sempre que possível elevarmos aos céus uma prece."

Arnalda Rabelo
Confiar é ter paz, apesar das estações.
Confiar é não lançar ao mar seus princípios, ainda que a tempestade esteja a naufragá-lo.
Confiar é perceber a supremacia do amor, no alarde de todos os fracassos.
Confiar é ter liberdade para confessar-se desconfiado de um Pai que acolhe como se nada soubesse.
Confiar é perceber que as setas da verdade vem para dentro daquele que a busca, não serve como arma contra os outros, muito menos como bordão para os militantes da boa moral.
Confiar é maior. Confiar é um campo. Um alargamento. Um lugar para estar, é ar, grandeza, liberdade. Confiar é consciência. Confiar é temer, chorar, perder, deixar de ser.
Confiar é permanecer nas tentativas de apreender o que é invisível aos olhos abertos, mas tão real para quem enxerga claro com os olhos fechados.

Francieli Battiston

"Ao contemplar a beleza, a alma faz uma súplica de eternidade. Ela deseja que aquilo que ela ama permaneça para sempre. Mas tudo o que a gente ama existe sob a marca do tempo. Tudo é efêmero. Efêmero é o pôr do sol, efêmera é a canção, efêmero é o abraço, efêmera é a casa construída para o resto da vida. A gente chora diante da beleza porque a beleza é uma metáfora da própria vida."


Rubem Alves
“Enquanto tivermos o mundo a nossa volta como nossa fonte de felicidade e alegria, nosso humor flutuará até mesmo com a mudança do tempo. Mas quando somos espiritualmente fortes, nossa alegria vem de dentro. Assim somos estáveis diante do insulto ou louvor, perda ou ganho. Ficamos no controle de nossas vidas e sentimentos. E mesmo que não possamos controlar as ondas do oceano ao nosso redor, podemos sim controlar e escolher como responder às situações e às pessoas. A vida para de ser uma montanha russa e vira um cruzeiro. Ela será mais uma brisa gentil do que uma tempestade.”


Brahma Kumaris

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Resiliência é uma palavra que vem da física. Significa a capacidade de um material de voltar ao estado normal depois de submetido a uma pressão.

A pessoa resiliente é aquela que não se quebra na tempestade, mas se deixa curvar pelo vento para não ser arrancada. Depois, recupera-se e segue adiante.
Para crescer, apenas observe uma árvore. À medida que a árvore cresce, suas raízes aprofundam. Existe um equilíbrio: quanto mais alto a árvore cresce, mais profundamente suas raízes crescerão. Você não pode ter uma árvore de 50 metros de altura com raízes pequenas; elas não poderiam sustentar uma árvore tão imensa. Na vida, crescer significa aprofundar-se dentro de si mesmo - é aí que suas raízes se encontram.


Osho

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Do que empobrece a alma.

Desde criança sinto esta energia esquisita. Sempre senti que as pessoas estão competindo uma com as outras o tempo todo. Conheci pouquíssimas pessoas na minha vida que eu percebia que realmente torcem e querem o bem e a evolução do outro. Encaro como pobreza de espirito essa necessidade que um indivíduo tem, e o prazer que sente, de querer ser melhor do que o outro.

E quem tem esse furor por superar a todos, inclusive amigos, não são pessoas que devemos ter em nosso ciclo de amizades. Afinal que relação é essa que existe não pelo afeto ou afinidade, mas pela competição. E assim infelizmente sobra muito pouca gente para serem nossos amigos.

As pessoas são criadas para serem melhores do que os filhos do vizinho, do que os colegas de classe, do trabalho, de qualquer lugar, porque seus pais entendem que se destacando dos demais só assim seus filhos terão valor, respeito e principalmente, privilégios.

Ocorre que a competição ocupa o espaço do respeito, que a concorrência ocupa o espaço do amor. Em qualquer tipo de competição, o que existe é a desvalorização da capacidade do outro. É a ocultação a qualquer custo da admiração substituindo-a pela inveja. E a inveja nasce da incapacidade de admirar, nos outros, o que eles têm ou conseguem.
Nada empobrece mais uma alma do que a inveja.


Andre Luis Aquino

Os Dois Amigos

Dois amigos viajavam pelo deserto e, em um determinado ponto da viagem, discutiram e um deu uma bofetada no outro.
O outro, ofendido, sem nada poder fazer, escreveu na areia:
Hoje, meu melhor amigo me deu uma bofetada no rosto.
Seguiram adiante, e chegaram a um oásis onde resolveram banhar-se.
O que havia sido esbofeteado e magoado começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo.
Ao recuperar-se, pegou um canivete e escreveu em uma pedra:
Hoje, meu melhor amigo salvou minha vida.
Intrigado, o amigo perguntou:
Por que, depois que te magoei, escreveu na areia, e agora, que te salvei, escreve na pedra?
Sorrindo, o amigo respondeu:
Quando um grande amigo nos ofende, devemos escrever onde o vento do esquecimento e o perdão se encarreguem de apagar.

Quando nos acontece algo grandioso, devemos gravar isso na pedra da memória do coração onde vento nenhum, em todo o mundo, poderá sequer apagar .

As Pedras e as Armaduras

Foi criado o mundo e muitas pedras foram espalhadas em seu solo.

Os homens, com medo das pedras voltarem a cair, logo procuraram se proteger.

Criaram então armaduras.

Logo todos queriam usar uma armadura para sua proteção.

Depois vieram homens construindo armaduras mais belas e modernas. Começou assim a guerra pela vaidade e pelo orgulho.

Com a novidade todos trabalhavam sem parar para obter uma armadura mais moderna e bela.

Chegou o tempo em que a beleza da pessoa era vista pela beleza da sua armadura.

Certo dia um garoto decepcionado com o que via resolveu não mais usar as armaduras e saiu pela cidade.

A reação da população foi imediata e quando o viram pela rua sem armadura falaram que era maluco por desafiar as pedras. Além do mais estava feio e fora do padrão de beleza.

Ao final do dia ninguém havia visto o garoto como corajoso e sim como suicida louco.

De tanto ouvir palavras de desabono o garoto sentou-se em uma calçada e chorou.

Alguém se aproximou e perguntou:

- Foram as pedras que fizeram isso com você?


- Não, nem vi sinal de pedras, quem me machucou a ponto de me deixar assim foi o ódio e a discriminação da sociedade, que semeia a beleza da armadura em vez do amor. 

domingo, 25 de janeiro de 2015

Heróis, Ídolos e o Indivíduo

A criação de ídolos e heróis, em qualquer tempo, assim como em qualquer sociedade, é proporcional ao desconhecimento que as pessoas possuem de suas próprias essências, ou seja, quanto menos alguém sabe sobre si mesmo, mais esta pessoa necessitará “endeusar” outrem que sirva de modelo, ou referência, para sua “insignificante” vida. Isto é um legítimo modelo de transferência passiva, isto é, a pessoa julga-se incapaz de transformar sua medíocre vida, então, como uma maneira de torná-la aparentemente aceitável, ela vive, como numa tela de cinema, a ilusão do personagem admirado. Sucintamente, esta é uma das mais inescrupulosas aflições que uma pessoa pode infligir a si mesma que, quando enraizada na psique, é extremamente difícil encontrar uma bula, seja médica ou pontífica, que restitua o senso de existência pessoal. Por outro lado, quanto maior o conhecimento sobre si mesmo, menor a dependência externa, pois tal sabedoria irrevogavelmente também brinda, entre outros benefícios, o senso de plenitude, independência e paz.

-Tadany - 07 01 11 -  Cargnin dos Santos, Tadany. Pensamento 674.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Ser livre

Sou livre. Livre como o vento que balança as árvores, atravessa os mares e levanta a poeira deixada pelos cantos. Livre como um cigano que ao som da carroça, ruma para outro local com apenas lembranças de tudo que viveu até ali. Guardadas em seu peito só por carinho, pois a liberdade fala mais alto e é preciso seguir em frente. Sou livre como a dança, que mesmo com passos marcados, encontra brechas para extravasar e fazer novos movimentos inesperados. Livre como a mudança, acontecendo sem aviso prévio, gerando o sorriso de muitos, raiva de alguns e tristeza de outros tantos.
Liberdade sem e com responsabilidade, cometendo erros e pagando por eles com prazer, muito obrigado. Liberdade de um choro contido por tanto dentro do peito. Liberdade de uma estrada longa, sem destino exato. Fazendo curvas para o grande oceano e outras vezes para um grande abismo, onde o carro explode e se desfaz em pedaços. Esta ai o bom de não ser um carro, posso me erguer do abismo e juntar meus pedaços, aos poucos. Como já fiz muitas vezes e não tenho garantia nenhuma que não farei de novo, talvez até num abismo mais fundo.
Liberdade essa também que foi conquistada depois de muito apanhar, e entendida depois de muita bronca da vida. Foi preciso muito tempo para entender que não se deve agradar ninguém, além de si mesmo, que não há valor nenhum nos sorrisos dos outros para as suas atitudes, se você não sorri junto e compartilha aquela aprovação.
Claro que seria maravilhoso ser feliz e ainda assim agradar à todos da mesma maneira, mas não dá, pois ser feliz é ser livre e ser livre nem sempre implica agradar à todos, então quando percebemos, estamos em um prisão onde o importante é o que os outros estão pensando de você e daí já não existe mais o ser livre.
Não se é mais livre pra soprar sobre o oceano, pois não vai ser agradável para quem está em alto mar. Não se poderá mudar, pois alguém ficará com raiva ou triste. E aos poucos você se encontra sentado no canto da cela, tentando encontrar um jeito de deixar todos felizes.
Não é egoísmo, não é falta de respeito, pois ser livre não implica nada disso. Ser livre implica estar feliz com as suas escolhas e consigo mesmo. Muitos se afastarão, pois na verdade queriam ter a coragem de quebrar as portas da cela de sua prisão, mas haverá os que ficarão em seu caminho sem pensar duas vezes, deixando que sua liberdade corra solta.
Ser livre é dançar com a felicidade e poder parar quando quiser. Mas não são todos que tem essa coragem, esse entendimento. Muitos só conhecem a liberdade quando se tornam uma energia sutil, que não habita mais esse plano. Habita um plano onde ele ou ela possa sim ser vento, ser cigano, ser dança e mudança. Simplesmente pela vontade de ser feliz.


Zaira da Luz

domingo, 18 de janeiro de 2015

Recomeçar do zero

Você já quis ter uma borracha especial para apagar algo que fez, que aconteceu, algo que doeu tão fundo ou teve conseqüências tão graves que você daria tudo para voltar atrás e recomeçar?
  
Há muitos que dariam tudo na vida para recomeçar do zero, ter uma nova oportunidade para agir diferente, tomar outras decisões, fazer diferentes escolhas. E eu sei que muita gente já recomeçou uma nova vida, já deu uma volta importante que fez com que os caminhos mudassem de direção e isso sempre é possível.

Mas não é possível recomeçar do zero. Recomeçar do zero não existe! Não existe fingir que não houve um passado e não estar ligado a ele de alguma forma. Não existe zerar o coração, nem as emoções, mesmo se passássemos nosso tempo voltando os ponteiros do relógio.

A verdade é que se pudéssemos recomeçar do zero, numa amnésia existencial, cometeríamos erros novamente, choraríamos de novo... porque não traríamos conosco essa carga de experiência que carregamos hoje, que às vezes até pesa, mas é nossa e isso não podemos negar, nem renunciar.

E é melhor assim: acreditar que tudo o que fizemos valeu de alguma forma. Erramos? Sim, e daí? Aquilo que reconhecemos como erro não faremos novamente e cada vez que tropeçamos e aprendemos com isso, colocamos algo mais na nossa bagagem da vida.

Lamentar por algo que não se teve? Que perda de tempo! As lamentações pelo que não fizemos não acrescentam nada na nossa vida. Precisamos viver de coisas concretas, do que realizamos, do que tivemos, mesmo se as perdemos.
Quem nos julga deveria julgar-se primeiro.

Ninguém é de todo bom e de todo mau. Não existem pessoas melhores que as outras, apenas as que ainda querem aprender e as que já perderam a esperança. Quem não chora por fora, chora por dentro, a diferença é que nesse caso ninguém percebe.

É possível recomeçar a vida, com novas ambições, fazer do velho, o novo e com uma grande vantagem: dessa vez existirão os parâmetros de comparação, as chances serão maiores de tomar decisões acertadas.

Então, acredite: tudo o que você viveu até agora valeu a pena porque é dessa vivência que você tira seu aprendizado.
Se você tem 30, 50 ou 80 anos, você pode fazer sua vida diferente ainda, você pode olhar o mundo com olhos novos.

Deus não condena ninguém. São as pessoas mesmas que se condenam quando cruzam os braços, imobilizam as pernas e colocam uma venda nos olhos.

A vida continua, mesmo se muitos desistem. E ela é muito mais rica para aqueles que abrem os braços ao futuro, dão as mãos ao passado e recomeçam. Essas pessoas jamais se sentirão sozinhas. 

Letícia Thompson

Uma maneira muito especial

Você costuma dizer a seu filho que o ama? Ou você é daqueles pais que têm dificuldade com a frase: Amo você?

Esta é a história de um homem. Em verdade, de um pai e um filho.

O homem era apaixonado por caixas. Grandes, pequenas, médias. Caixas altas, baixas. Caixas redondas. Quadradas, retangulares.

O filho amava intensamente o pai. E o pai amava intensamente o filho.

Mas ele não conseguia dizer ao filho que o amava.

Por isso, pensou em uma maneira especial de se comunicar com ele, dizendo dos seus sentimentos. Começou a construir coisas para ele.

Com várias caixas de tamanhos diferentes, ele fez um castelo. E que castelo!

Também construiu um avião. Lindo, imitando um 14-Bis, aquele mesmo com o qual Santos Dumont voou ao redor da torre Eiffel, em Paris. E voava muito bem.

Só a chuva impedia os voos maravilhosos do avião de papelão. Esse era um problema que, algum dia, aquele pai iria resolver.

Quando os amigos do filho apareciam, caixas de todos os tamanhos também apareciam, para o deslumbramento da garotada.

Logo, elas se transformavam em casas, torres, castelos, cidades. Também chapéus, armários e pontes.

E o pai continuava a recolher caixas, onde quer que fosse: no supermercado, na loja de eletrodomésticos, no shopping.

A maioria das pessoas achava que o homem era muito estranho. Principalmente, quando ele descia o morro com o filho, dentro de um carrinho feito com a caixa que trouxera a geladeira nova.

Os idosos apontavam para ele. As senhoras o olhavam zangadas.

Os vizinhos, quando o viam no quintal, às voltas com caixas e mais caixas, riam dele.

Nem se davam conta de que uma caixa se transformara em casa de passarinhos, na grande árvore em frente ao portão. E que outra, zelosamente, guardava o alpiste para alimentar a passarada.

O homem, no entanto, não se preocupava com os comentários e os risos de ninguém porque empinando papagaio, montando castelos, inventando mil coisas com as caixas, ele descobrira uma fórmula especial de compartilhar horas de lazer com o filho.

E mais do que tudo, carregando o filho nos ombros morro abaixo e morro acima, na manhã de sol ou no cair da tarde, ele aprendera uma maneira particular de compartilhar o amor de um pelo outro.


Extravasemos nossos sentimentos, demonstrando a nossos filhos que os amamos.

Permitamos que percebam o quanto eles significam para os nossos corações.

Se nossos braços estiverem começando a apresentar sinais de ferrugem, lubrifiquemo-los com o óleo de muitos abraços.

E se nossa voz anda um tanto preguiçosa para as palavras Amo você, façamos como o pai da história e criemos situações que nos permitam estar com nossos filhos, para as sadias brincadeiras da infância.

Afinal, tudo é uma questão de vontade, esforço e aprendizado.


Redação do Momento Espírita, com base no livro O homem que amava caixas, de autoria de Stephen Michael King, ed. Brinque Book.

Tempo

Dizem que a vida é curta, mas não é verdade. A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades.
​E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada, como uma criança tranq​uila brincando de esconde-​esconde.
Infelizmente às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando ‘NÃO’: a viagem que não fizemos, o presente que não demos, a festa que não fomos, o amor que não vivemos, o perfume que não sentimos.
A vida é mais emocionante quando se é ator e não expectador, quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria. E como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.

Esta mensagem é um tributo ao tempo. Tanto aquele tempo que você soube aproveitar no passado quanto aquele tempo que você não vai desperdiçar no futuro. Porque a vida é agora.
​Não  tenha medo do futuro, apenas lute e se esforce ao máximo para que ele seja do jeito que você sempre desejou. A morte não é a maior perda da vida.
​A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos.


Dalai Lama

O mistério da vocação

É preciso que cada ser aja no mundo como se tivesse consciência de ter sido escolhido para uma tarefa que é o único que pode cumprir.

A partir do momento em que ele a descobre e começa a consagrar-se a ela, lhe parece que Deus está com ele e vela por ele.

Está pleno de confiança e alegria, perde o sentimento de estar abandonado e é libertado de toda dúvida e angústia, esta unido à obra da criação.

Todos os seus pecados são perdoados. Ele não tem mais passado e renasce a cada manhã.

Vive no encantamento, fraco e pecador como é, de ter sido convocado a uma ação que o ultrapassa e para a qual ele recebe sempre novas forças e experimenta sempre um novo cuidado.

Tal é o mistério da vocação que produz no indivíduo, a partir do momento em que ele a percebe uma emoção incomparável: aquela de não estar mais perdido no universo, mas de ocupar nele um lugar de eleição, de ser sustentado por ele e de sustentá-lo e de descobrir sempre um acordo entre suas próprias necessidades e o socorro que ele não pára de receber, entre o que ele deseja ou o que ele espera e a revelação que lhe é feita.

Louis Lavelle

Uma hora misteriosa e propícia

“Há na vida momentos privilegiados nos quais parece que o Universo se ilumina, que nossa vida nos revela sua significação, que nós queremos o destino mesmo que nos coube, como se nós próprios o tivéssemos escolhido. Depois o Universo volta a fechar-se, tornamo-nos novamente solitários e miseráveis, já não caminhamos senão tateando por um caminho obscuro onde tudo se torna obstáculo a nossos passos. A sabedoria consiste em conservar a lembrança desses momentos fugidios, em saber faze-los reviver, em fazer deles a trama da nossa existência cotidiana e, por assim dizer, a morada habitual do nosso espírito.”

Louis Lavelle, Da Intimidade Espiritual, 1955

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Ouça o seu coração

Indagar-se se você está no caminho certo parece fácil.
A parte difícil é ouvir a resposta do coração.
Sua mente terá uma resposta, mas seu coração talvez tenha outra.
O medo pode incitá-lo a manter o rumo atual, enquanto o amor pode instigá-lo a mudar de rumo.
Você precisa acalmar a mente para ouvir qual é o chamado mais alto e abrir o coração para descobrir onde mora o amor.
Se decidir seguir suas paixões e desejos, precisa ser forte o suficiente para ouvir as respostas da sua alma.
Se você se mantiver na superfície, o cenário parecerá sempre o mesmo.
Aventure-se em águas mais profundas e um mundo mágico estará à sua espera.
Mas temos medo de afundar, de errar, de falhar.
Seus desejos são suficientemente importantes para fazer você enfrentar seus medos?
Você os quer realizar de verdade?
A escolha é sua: você pode mudar sua atitude de resignação para um de comprometimento; passar de uma condição de medo para um estado amoroso.
O primeiro passo é questionar a si mesmo, para transformar radicalmente suas certezas em perguntas.
Troque: “Sou um fracassado” por “Eu poderia ser um sucesso?”.
Transforme “Minha vida não faz diferença” em “Eu faria alguma diferença para o mundo?”.
A necessidade de ser corretos, de nos sentirmos seguros nos impede de assumir um compromisso com a vida.
Ficamos inseguros ao questionar nossos motivos.
O que você prefere: estar certo a respeito de ser um fraco ou estar errado quanto à sua capacidade de ser grande?
Feche os olhos e focalize mentalmente um lugar dentro de você, bem no fundo, onde se sinta a salvo e à vontade.
Pergunte a você mesmo o que gostaria de estar fazendo nesse exato momento de sua vida.
Por que não está se dedicando à busca desse sonho?
Do que você tem medo?
Mantendo as respostas na quietude do seu coração, comprometa-se a mudar sua vida, de forma a poder manifestar seus sonhos.

Comprometa-se a sempre prestar atenção à sua própria verdade e a dar ouvidos a ela.

Debbie Ford

Mudanças

Quantas vezes em sua vida você já escutou a frase, “nunca é tarde para se começar” ? Esta é uma verdade que tentamos ocultar no dia a dia de nosso viver, pois se você não sabe, todos os dias estamos recomeçando a vida.

É fácil entender. Vamos falar de uma boa noite de sono como exemplo. Após despertar pela manhã, você passa a cumprir várias tarefas que no dia anterior não haviam sido realizadas.

Ao abrir os olhos, o dia de ontem se parecia com o de hoje? A roupa que você usou ontem é a mesma de hoje? O almoço de hoje vai ser igual ao de ontem? A resposta para estas perguntas certamente é “não”.

Lembre-se: tudo nesta vida é feito de mudanças, sempre começando do nada e do zero, cabendo a você a tarefa de dar um significado muito especial para está linda experiência vivida aqui.

Todos os dias estamos recomeçando e contando uma nova história, acreditando sempre no ser humano e nos seus lindos sonhos de felicidade.


Vá em frente!

(a.d.)

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

O que dizia o córrego

Khalil Gibran, em um de seus belos e inspirados textos, fala-nos de um córrego, e do que ele lhe contou sobre os segredos da vida.

Caminhava eu no vale, quando irrompeu a alvorada, proclamando o mistério de um mundo imortal.

E um córrego que fluía em seu leito, começou a cantar e dizer:

A vida não está no bem-estar. Ela é objetivo e labor.

A morte não consiste em morrer. Morte é a desesperança e a enfermidade.

O sábio não é sábio pelas palavras, mas pelo que se oculta nas palavras.

Glorioso não é aquele que ocupa altas posições. A glória pertence àquele que renuncia ao poder.

E o nobre não o é pelos seus antepassados. Muitos nobres foram vítimas de seus antepassados.

O oprimido não é aquele que tem as mãos acorrentadas. Uma corrente pode ser um adorno mais lindo que um colar.

O paraíso não está nas recompensas recebidas. No coração sereno, encontra-se o paraíso.

O inferno não é o castigo infligido. Inferno é o coração vazio.

A riqueza não é o dinheiro acumulado. Muitos indigentes são mais ricos que os ricos.

Ser pobre não é motivo de humilhação. A fortuna deste mundo é um alimento e uma veste.

A beleza não é o que refletem os semblantes, mas, sim, a luz que ilumina os corações.

Foi isto o que disse aquele córrego, às rochas que guarnecem suas beiras.

*   *   *

A felicidade que nos é possível viver neste mundo está nessas descobertas que vamos fazendo ao longo do caminho.

Os poetas conseguem interpretar os córregos e, se ainda não podemos realizar tal mister, a vida faz-nos encontrar tais revelações de outras formas.

A vida está sempre nos ensinando algo: seja numa conversa com alguém mais experiente, seja numa palestra que ouvimos ou numa breve mensagem no rádio convidando-nos a refletir.

É por esta razão que precisamos estar atentos e receptivos ao que o universo está tentando nos mostrar com esse ou aquele acontecimento; com essa ou aquela lição; com um sofrimento ou com uma alegria.

Livros primorosos foram escritos para que encontrássemos ali as respostas que buscamos.

Espíritos elevados voltam à Terra para mostrar o caminho dos dias melhores que nos esperam.

Oradores e pensadores, intermediários entre os mundos superiores e o nosso, vêm, em livros, palavras e atos, revelar verdades que visam nos libertar de tantos atavismos, de tantos vícios.

Dessa forma, mesmo ainda não podendo ouvir os córregos, já podemos encontrar muitas maneiras de seguir por sendas mais seguras e certas.

E elas estão muito mais próximas do que imaginamos.

Prestemos atenção. Permitamo-nos as descobertas valiosas que somente nos engrandecerão o intelecto e a moral.

Estejamos atentos.

Redação do Momento Espírita, com base no capítulo
O que dizia o córrego, de Khalil Gibran, do livro  Curiosidades e belezas, ed. Agigi.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Na Sala de Espera da Vida

Para muitas pessoas, a vida parece uma infinita sala de espera.
Esperam pelo conhecimento desejado, pelo(a) parceiro(a) imaginado, esperam pelo trabalho adequado, pelo momento propício, pela situação afortunada e, acima de tudo, esperam que caia do infinito todas as joias que elas acreditam serem merecedoras, mas, quando se dão conta, o constante tic-tac do relógio já as levou por uma longa caminhada em suas existências. Então, resignadas e moribundas, apenas vegetam pelo resto de suas vidas, pois acreditam que já não existe mais tempo para transformarem em realidade aquilo que elas desejam ou, frequentemente, culpam as forças divinas, ou familiares, ou sociais por não propiciarem aquilo que elas almejam, mas que, desafortunadamente, elas nunca tiveram a volição de alocar todos os seus esforços para conseguirem. Na sala de espera da vida se encontram muitíssimos cegos existenciais quem não conseguem ver nem os dons que o nascimento lhes brindou, nem as possibilidades que a vida inevitavelmente lhes brinda. Ou seja, quem muito espera não se esmera e, no final, se desespera.


Cargnin dos Santos, Tadany

Sou a favor

Se há alguma coisa que você não quer na vida, pare de se preocupar com ela e pare de falar nela!
É a energia que você investe que a mantém viva.
Retire essa energia, e o problema desaparecerá.
A briga é o exemplo perfeito: se seu marido voltar para casa procurando briga e você se recusar a discutir, o que acontecerá?
Só restará a ele brigar consigo mesmo!
Sempre que você estiver preocupado, constrangido ou simplesmente pensando em alguma coisa, as outras pessoas continuarão falando nela.
Quando a gente de fato abre mão de uma coisa emocionalmente, ela se evapora.
Isso leva a outro princípio: quando largamos uma coisa, ela nos larga.
Ou seja: enquanto você estiver se defendendo, as pessoas o atacarão.
Por quê?
Porque nós só nos defendemos quando estamos inseguros quanto a nossa situação.
Verdade!
Quer um exemplo?
Digamos que você seja objeto de fofocas no escritório.
Se começar a fazer declarações públicas afirmando a sua inocência, só estará botando lenha na fogueira.
Basta não fazer caso, para que tudo passe.
Não estou dizendo que você não deva se defender.
Não.
O que quero dizer é que enquanto protestamos e sofremos, enquanto estivermos saltando de um lado para outro, manteremos o problema vivo.
Eu me lembro de ter visto passeatas de protestos nos anos 60.
Perguntei ao meu pai: “Por que eles se espancam assim?”
E ele respondeu: “Porque querem a paz!”
A gente não combate a guerra.
Concentra-se na paz.
Em poucas palavras: se você transformar a vida numa campanha contra o que quer que seja, as coisas que combate se expandirão.

Decida do que você está a favor.

Andrew Matthews

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Continuar tentando

Nada neste mundo, em dimensões físicas ou espirituais, pode ser comparado à persistência. Nem mesmo o talento; infelizmente é muito comum pessoas malsucedidas e cheias de talento. Nem a genialidade; a existência de gênios não recompensados é quase um provérbio. Nem a instrução; o mundo está cheio de negligenciados com faculdade, mestrado ou doutorado. A persistência e determinação são por si só onipotentes. O slogan "não desista" já salvou e sempre salvará os problemas da raça humana.
É da natureza dos seres humanos desistir facilmente, porém continuar tentando é a única alternativa para quem quer triunfar com a mente, alma e coração.


Andre Luis Aquino

Felicidade.

Felicidade é quando o corpo e a alma estão em sintonia. As vezes a gente sonha com a alma, mas o corpo não acompanha. A alma de tão leve pode voar, mas o corpo é pesado demais para decolar, ou então no que o corpo sente prazer a alma não acha graça.

Na maior parte do tempo alma e corpo estão desencontrados. Mas o que será que nutre a cada um deles. E o que os separa e o que os atrai? Nessa altura dos acontecimentos é necessário descobrir esse isolamento ou união entre eles, caso contrário nunca se encontrará a verdadeira felicidade. Nós seres humanos só queremos ser felizes na individualidade, ninguém quer se feliz de forma coletiva. É cada um por si. Se o mundo está como está, violento, em crise e repleto de guerras é porque todos nós estamos assim da mesma maneira. A sociedade atual é reflexo do nosso completo desequilíbrio.

Para ser feliz hoje em dia é preciso quebrar paradigmas, pois paradigma significa “cultura geral vigente”. Ou seja, é a maneira como as pessoas em conjunto vêm um fato, entendem um fenômeno e assim criam crenças e regras. A alternativa a tudo isso é seguir por outros caminhos, estradas que não são pavimentadas como são essas onde todo mundo está viajando e por isso são bem mais trabalhosas.


Andre Luis Aquino

domingo, 11 de janeiro de 2015

A Alquimia Interior

Muito se tem falado acerca das transformações pelas quais está passando o planeta Terra.
A tão comentada transição planetária, - que muito temem por considerar o fim dos tempos -, será determinada, acima de tudo, por uma mudança no padrão de consciência dos seres humanos.
Para muitas pessoas, este termo soa como algo absolutamente incompreensível.
Muitos me perguntam como mudar este padrão e de que modo podem realizar a prática da interiorização.
A meditação, que tenho recomendado incessantemente, é um dos principais pilares no processo de autoconhecimento.
Mas não é o único.
Para aqueles que ainda sentem uma grande dificuldade em praticar técnicas específicas, é possível exercitar o autoconhecimento por um método, no meu entender, mais simples e menos exigente em termos de disciplina e força de vontade.
Trata-se da observação.
A cada momento do dia, é possível praticá-lo sem que seja necessária nenhuma técnica ou programação especial.
Observar inicialmente o corpo, suas reações, e as sensações físicas mais explícitas é o início de tudo.
A seguir, observar a mente e o padrão de pensamentos que ali predominam.
O simples observar, sem qualquer padrão de julgamento, faz com que o incessante fluxo de pensamentos comece aos poucos a desaparecer, e a dar lugar a um novo estado de ser, onde a harmonia e a serenidade se tornam naturais.
Depois, observar as emoções, e tentar identificar a origem de cada uma delas, qual acontecimento determinou que surgisse.
São estas três dimensões do ser que precisamos inicialmente conhecer, para só então podermos adentrar num estágio mais profundo de consciência, a do plano divino.
Este, ao contrário do que muitos imaginam, não exige nenhum mecanismo de busca complexo, mas estará disponível de modo simples e natural, tão logo nos habituemos a adentrar no silêncio e na quietude da mente.
Toda transformação, seja de que nível for, só se torna possível se for realizada em total consciência.
Caso contrário, continuaremos escravos de padrões emocionais inconscientes, vivendo como robôs automatizados, jogados de um lado para outro sem qualquer poder de decisão acerca de nossa própria vida.
"As Três Chaves para o Autoconhecimento”
Na minha visão, a primeira coisa que precisa ser entendida é que todas as qualidades da sua personalidade, do seu coração, devem desenvolver-se corretamente.
Qual é o segundo ponto?
O segundo ponto é que deve existir consciência, mas nenhuma repressão.
Quanto mais você reprime os sentimentos, mais eles tornam-se inconscientes.
Você é uma coletânea de energias desconhecidas.
Você é o centro de energias bem desconhecidas, com as quais você não tem nenhuma familiaridade, nenhuma consciência.
O conhecer faz de você um mestre.
Dentro de você, muitas energias, mais fortes do que a eletricidade, estão acesas, faiscando.
A raiva, o ódio, o amor soltam faíscas dentro de você.
Transforme a sua vida num laboratório do interior e comece a conhecer todas essas energias dentro de você - observe-as, reconheça-as.
Nunca as reprima, nem mesmo casualmente.
Nunca as tema, nem por engano, mas tente conhecer o que quer que exista dentro de você.
Se a raiva vem, sinta-se afortunado e agradeça à pessoa que lhe fez sentir raiva; ela lhe deu uma oportunidade - alguma energia surgiu dentro de você e agora você pode observá-la.
Olhe-a silenciosamente, isolada; pesquise para ver o que ela é.
Quanto mais cresce o seu saber, mais profunda torna-se a sua compreensão.
Quanto mais você torna-se mestre da sua raiva, mais perceberá que ela está sob o seu domínio.
No dia em que você se tornar o mestre da sua raiva, será o dia em que você poderá transformá-la.
Você somente pode transformar aquilo do qual você é mestre; você não pode mudar aquilo do qual você não é mestre.
E lembre-se, você nunca pode ser mestre de algo com o qual você briga, porque é impossível tornar-se mestre de um inimigo; só se pode ser mestre de um amigo.
Se você se torna inimigo das suas energias interiores, então, nunca poderá tornar-se mestre das mesmas.
Você não pode vencer sem amor e amizade.
Não tema, nem condene os infinitos tesouros de energias dentro de você.
Comece conhecendo o que se encontra escondido no seu interior.
Esta é a segunda chave: você não deve reprimir nenhuma de suas energias: você deve conhecê-las, reconhecê-las, observá-las e vê-las.
A observação terá dois resultados: primeiro, o conhecimento de suas próprias energias se ampliará, e conhecê-las fará de você um mestre; e segundo, a força do grilhão que essas energias têm sobre você diminuirá.
Bem lentamente, você descobrirá que primeiro a raiva vem e você observa; então, gradualmente, depois de algum tempo, você descobrirá que quando a raiva vier, o observador virá ao mesmo tempo.
E finalmente, você descobrirá que quando a raiva se preparar para aparecer, o observador já estará lá.
A partir do dia em que o observador chega antes da raiva, não há mais nenhuma possibilidade da raiva surgir.
A terceira chave é a transformação.
Cada qualidade pode ser transformada.
Tudo tem muitas formas; tudo pode mudar para a forma oposta.
Não há qualidade ou energia que não possa ser convertida para o bem, para a benção.
E lembre-se, aquilo que pode tornar-se ruim, sempre pode tornar-se bom; aquilo que pode tornar-se prejudicial, sempre pode tornar-se útil.
Útil e prejudicial, bom e ruim são direções.
É uma questão simples de transformar mudando a direção e as coisas se tornarão diferentes.
A forma que você está se movendo agora é errada.
Qual é a prova que algo está errado?
A prova que algo está errado é que quanto mais você se move, mais você se torna vazio; quanto mais você se move, mais você se torna triste; quanto mais você se move, mais você se torna impaciente; quanto mais você se move, mais você é preenchido com escuridão.
Se for esta a situação, então certamente você está se movendo erradamente.
Bem-aventurança é o único critério para a vida.
Se sua vida não é bem aventurada, então saiba que você está se movendo erradamente.
Sofrimento é o critério de estar errado, e bem-aventurança é o critério de estar certo - não há outro critério.
Não há necessidade de perguntar a mais ninguém.
Você pode usar esse critério todo dia, na sua vida cotidiana.
O critério é a bem-aventurança.
É o mesmo critério de testar ouro esfregando-o em uma pedra: o ourives jogará fora o que quer que não seja puro e colocará o que é puro na sua loja.
Continue checando, cada dia, utilizando o critério da bem-aventurança; veja o que é certo e o que é errado.
"O que quer que esteja errado pode ser jogado fora, e o que quer que esteja certo começará a se acumular lentamente como um tesouro"


Osho

O Homem e a Natureza


Ao romper do dia, sentei-me na campina, travando conversa com a Natureza, enquanto o Homem ainda descansava sossegadamente nas dobras da sonolência. Deitei-me na relva verde e comecei a meditar sobre estas perguntas:

Será a Beleza Verdade?


Será Verdade a Beleza?

E em meus pensamentos vi-me levado para longe da humanidade.


Minha imaginação descerrou o véu de matéria que escondia meu íntimo. Minha alma expandiu-se e senti-me ligado à Natureza e a seus segredos. Meus ouvidos puseram-se atentos à linguagem de suas maravilhas.

Assim que me sentei e me entreguei profundamente à meditação, senti uma brisa perpassando através dos galhos das árvores e percebi um suspiro como o de um órfão perdido.

“Por que te lamentas, brisa amorosa?” perguntei.

E a brisa respondeu:


“Porque vim da cidade que se escalda sob o calor do sol, e os germes das pragas e contaminações agregaram-se às minhas vestes puras. Podes culpar-me por lamentar-me?”

Mirei depois as faces de lágrimas coloridas das flores e ouvi seu terno lamento... E indaguei: “Por que chorais, minhas flores maravilhosas?”

Uma delas ergueu a cabeça graciosa e murmurou: “Choramos porque o Homem virá e nos arrancará, e nos porá à venda nos mercados da cidade.”

E outra flor acrescentou:


“À noite, quando estivermos murchas, ele nos atirará no monte de lixo. Choramos porque a mão cruel do Homem nos arranca de nossas moradas nativas.”

Ouvi também um riacho lamentando-se como uma viúva que chorasse o filho morto, e o interroguei: “Por que choras meu límpido riacho?”

E o riacho retrucou:


“Porque sou compelido a ir à cidade, onde o Homem me despreza e me rejeita pelas bebidas fortes, e faz de mim carregador de seu lixo, polui minha pureza e transforma minha serventia em imundície.”

Escutei, ainda, os pássaros soluçando e os interpelei:


“Por que chorais meus belos pássaros?”

E um deles voou para perto, pousou na ponta de um ramo e justificou:


“Daqui a pouco, os filhos de Adão virão a este campo com suas armas destruidoras e desencadearão uma guerra contra nós, como se fôssemos seus inimigos mortais. Agora estamos nos despedindo uns dos outros, pois não sabemos quais de nós escaparão à fúria do Homem. A morte nos segue, aonde quer que vamos.”

Então o sol já se levantava por trás dos picos da montanha e coloria os topos das árvores com auréolas douradas.


Contemplei tão grande beleza e me perguntei:

“Por que o homem deve destruir o que a Natureza construiu?”



Khalil Gibran

Desafios da Vida

A vida é possível apenas por meio de desafios.

A vida é possível apenas quando você tem ambos, bom tempo e mau tempo, quando você tem ambos, prazer e dor, quando você tem ambos, inverno e verão, dia e noite.

Quando você tem ambos, tristeza e alegria, desconforto e conforto. A vida se move entre essas duas polaridades.

Movendo-se entre essas duas polaridades, você aprende como ter equilíbrio. Entre essas duas coisas, você pode aprender como voar até a estrela mais distante.

As dificuldades sempre existem, são parte da vida. E é bom que existam, ou não haveria crescimento. Dificuldades são desafios. Elas o incitam a trabalhar, a pensar, a descobrir meios de sobrepujá-las.

O próprio esforço é essencial. Assim, sempre tome as dificuldades como bênçãos. Sem dificuldades, estaríamos perdidos. Dificuldades maiores virão, e isso significa que a existência está cuidando de você, está lhe dando mais desafios. E, quanto mais você os soluciona, maiores desafios estarão esperando por você.

As dificuldades desaparecem somente no último momento, mas esse último momento chega somente devido às dificuldades. Assim, nunca tome negativamente qualquer dificuldade.

Descubra o algo positivo nela para o seu aprendizado. A mesma rocha que bloqueia o caminho poderá funcionar como um degrau. E se não houvesse essa rocha no caminho, como você se elevaria? E o próprio processo de ir acima dela, tornando-a um degrau, dá-lhe uma nova atitude de ser.

Quando você pensa criativamente sobre a vida, tudo é útil e tudo tem algo a lhe dar. Nada é sem sentido.


Osho

Mergulhe em Você Mesmo

Temos medo de estarmos conosco, mergulharmos em nosso interior. O silêncio e sua prática nos leva a esta possibilidade de encontro profundo e revitalizador. Com o silêncio, encontramos a paz e o amor incondicional vem com toda a força transformadora. "O amor é a força mais sutil do mundo.O mundo está farto de ódio". É é este ódio irracional e distante da força criadora que destrói, corrompe e ensurdece a humanidade.

Pare! Recomece! Reprograme-se... O silêncio pode ser o ponto chave desta nova caminhada. Pratique-o diariamente e transforme um pouco nosso mundo. Ouça a você mesmo.

"Temos de nos tornar a mudança que queremos ver no mundo. Você tem que ser o espelho da mudança que está propondo. Se eu quero mudar o mundo, tenho que começar por mim."

Pratique diariamente o silêncio da paz. Respire profundamente algumas vezes. Inspire e sopre lentamente até ir relaxando e mergulhando dentro de si mesmo. Feche os olhos e silencie seus medos, preocupações e ansiedades diárias, por alguns momentos. Dê a chance à sua paz e a paz do mundo.

"Faça a sua parte, se doe sem medo. O que importa mesmo é o que você é...

Mesmo que outras pessoas não se importem. Atitudes simples podem melhorar sua vida."

Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada,não existirão resultados. Espalhe esta ideia.

Transforme o mundo, a partir de você.

"Seja a mudança que você deseja para o mundo".


Mahatma Gandhi

Cérebro

Apenas por um momento, feche os olhos.

Agora pense no seu quarto.
Veja sua cama, as paredes.
Agora abra os olhos.

Você viu seu quarto, claro.
E assim que você viu essa imagem, um feixe de fótons, luz, acendeu em seu cérebro.

Mas antes de pedir que você visse essa imagem, onde ela estava?
Onde está a memória até o momento que decidimos lembrar?

A memória não está no cérebro como tanta gente diz.

As pessoas dizem isso porque se alguém tem um derrame pode perder a memória.
Mas hoje os mais brilhantes cientistas do mundo estão afirmando que a memória não está no cérebro.

O cérebro é apenas um hardware, como um rádio.
Não há prova cientifica de que o cérebro produza pensamentos.
Ele os decodifica.

O que ensinam as grandes escolas espirituais é que o pensamento vem da alma, do verdadeiro eu.
Para além dos olhos da carne e dos olhos da mente estão os olhos da alma.

É aí que temos memória, insights, imaginação, entendimento, intenção, curiosidade, sabedoria, criatividade.

Hoje alguns cientistas começam a descrever esse domínio, que chamaremos de realidade virtual. É aí que estava o pensamento, antes de você tê-lo tido.


Deepak Chopra

Tente Aproveitar a Vida de um Jeito Diferente


Sempre vemos todo mundo em busca da felicidade, esperando bons sentimentos, mas o que será que é verdadeiramente feito para consegui-los? Quando esperamos por gentileza, será que diariamente somos gentis com os outros? Queremos estar perto de pessoas positivas e alegres, mas será que somos assim para os outros?

Deparamo-nos com tantas pessoas durante o dia que muitas vezes não percebemos o quanto podemos ser indiferentes com quem passa do nosso lado. É muito fácil querer que todo mundo nos alimente dos melhores sentimentos, achar que o relacionamento interpessoal pode mudar sem você fazer nada. O difícil é lembrar que tudo pode começar a partir de cada um, que você tem o poder de mudar as coisas positivamente.

Se achar que as pessoas do seu bairro não demonstram gentileza, comece a ser gentil insistentemente, certamente vai melhorar o dia de alguém que pode passar o sentimento como através de uma corrente. Se sentir falta de ouvir um bom dia lá do senhor da padaria, comece logo o dia distribuindo vários “bons dias” e veja o que acontece.

Entretanto as pessoas são bem diferentes e nem todas estão interessadas em absolver bons sentimentos, e se você encontrar um tipo desses siga em frente e não desista de aproveitar sua vida de um jeito diferente. Retribua todo o bem que já lhe foi feito, quem sabe continuando com essa corrente espalhamos mais felicidade e reduzimos os índices de mal humor pelo mundo.

Dé Doellinger

Lição de Ano Novo

Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação, sempre existe uma saída.
Aprendemos que é bobagem fugir das dificuldades. Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar.
Aprendemos que perdemos tempo nos preocupando com fatos que muitas vezes só existem na nossa mente.
Aprendemos que é necessário um dia de chuva para darmos valor ao Sol, mas se ficarmos expostos muito tempo, o Sol queima.
Aprendemos que heróis não são aqueles que realizam obras notáveis, mas os que fizeram o que foi necessário e assumiram as consequências dos seus atos.
Aprendemos que, não importa em quantos pedaços nosso coração está partido, o mundo não para para que nós o consertemos.
Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.
Aprendemos que amar não significa transferir aos outros a responsabilidade de nos fazer felizes. Cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos.
Aprendemos que o que faz diferença não é o que temos na vida, mas quem nós temos. E que boa família são os amigos que escolhemos.
Aprendemos que as pessoas mais queridas podem às vezes nos ferir. E talvez não nos amem tanto quanto nós gostaríamos, o que não significa que não amem muito, talvez seja o máximo que conseguem. Isso é o mais importante.
Aprendemos que toda mudança inicia um ciclo de construção, se você não esquecer de deixar a porta aberta.
Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Por isso, não vale a pena resgatar o passado. O que vale a pena é construir o futuro.
O nosso futuro ainda está por vir.
Então aprendemos que devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos.

Dé Doellinger

Portas da Vida


A vida é uma sequência de portas que se fecham e se abrem.
Vamos percorrendo sala após sala e temos as mais variadas experiências.
Alguns gostariam de fechar as portas aos velhos padrões negativos, aos velhos bloqueios, às situações que não nos trazem nada de bom.
Alguns estão empenhados no processo de abrir novas portas e de encontrar novas experiências maravilhosas.
Eu creio que já viemos a este mundo muitas e muitas vezes, e viemos para aprender as mais diversas lições.
É como ir à escola.
Antes de encarnarmos num dado espaço no tempo, escolhemos a lição que queremos aprender para poder evoluir espiritualmente.
Uma vez escolhida a lição, escolhemos todas as circunstâncias e situações que vão nos permitir aprender a lição, o que inclui os pais, o sexo, o local de nascimento e a raça.
Se você chegou até esse ponto, acredite você fez todas as escolhas certas.
Conforme vamos atravessando a vida, é essencial não esquecer que estamos a salvo.
Tudo é mudança.
Confie no seu Ser Superior para orientar e guia-lo nos caminhos que conduzem ao crescimento espiritual.
Visualize-se abrindo as portas da alegria, da paz, da cura, da prosperidade e do amor; as portas da compreensão, da compaixão, do perdão e da liberdade; as portas da apreciação de si próprio, da autoestima e do amor-próprio.
O seu ser é eterno e vai continuar de experiência em experiência para sempre.
Mesmo quando passamos a última porta neste mundo, isso não representa o fim.
É apenas o começo de uma nova aventura.
Em última instância, nunca podemos forçar ninguém a mudar.
Podemos sim proporcionar uma atmosfera mental positiva onde tenham a possibilidade de mudar se assim quiserem.
Todavia, não podemos fazer por ninguém.
Cada um está aqui para aprender as suas lições e se tentarmos resolver os problemas por alguém, eventualmente esse alguém voltará a reincidir-nos mesmos erros enquanto não aprender por si.
Terá de decidir o que pretende fazer.
Ame a todos.
Deixe-os ser quem são.

Saiba que a verdade está sempre dentro deles e eles podem mudar no momento em que o quiserem.

(A.D)

Humildade é respeito

" Quem adquire o degrau do respeito conhece a virtude da humildade, aquele que afasta o respeito sobrevive de arrogância, e aos poucos sofre de ausência de humildade e adquire nas veias o orgulho e a mágoa que ferem a alma e lesam o corpo.
Humildade é viver ao lado do respeito, quem alcançou este grau conhece a paz interior e supera a adversidade com a confiança e a lealdade da vida.
Respeito não é abaixar a cabeça e aceitar a leviandade de outrem, e sim procurar saber a causa desta situação e resolver da forma que sua alma não caia em precipício, e permita que o julgamento do outro acontece no momento certo, com certeza muito breve."


Dra. Miriam Zelikowski

Postagens Recentes