Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

terça-feira, 6 de julho de 2010

Correr riscos

Rir é correr risco de parecer tolo. Chorar é correr o risco de parecer sentimental. Estender a mão é correr o risco de se envolver. Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.

Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas. Amar é correr o risco de não ser correspondido.

Viver é correr o risco de morrer. Confiar é correr o risco de se decepcionar. Tentar é correr o risco de fracassar.

Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada. Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.

Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem. Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade.

Somente a pessoa que corre riscos é livre!

Seneca

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Escolhas

A vida nunca ensina coisa alguma.
É você quem decide se há uma lição em cada alegria, cada tristeza e cada dia comum pelo qual passa, ou se desperdiça todos os momentos de prazer e dor.
Não são os fatos que acontecem que fazem com que você aprenda algo, mas somente suas respostas e reações aquilo que acontece.
Também não são as experiências de sua vida, desde a infância, que transformaram você na pessoa que é hoje, mas somente a maneira como reagiu, ou respondeu, aquilo que você viveu.

Veja que são coisas bem diferentes. Tudo o que você é, tudo o que você foi e tudo o que você será tem relação direta com o jeito como você age quando uma coisa boa,
ou má, acontece na sua vida.

Exatamente por isso, uma mesma situação pode levar uma pessoa a tornar-se mais ácida, deprimida, cínica e isolada, enquanto outra -- na exata mesma situação --
aproveita para se tornar alguém melhor, com mais fé, coragem, resistência e confiança no espírito humano ou em seu próprio potencial de ser feliz.

Coisas boas e coisas ruins acontecem a todos os seres humanos de modo aleatório,
mas consistente com leis matemáticas e universais de ação e reação.
Por isso não é possível vivermos em um paraíso, mas podemos ser um oásis de paz no meio das guerras que muitas outras pessoas vivem, se nos lembrarmos de que não podemos escolher tudo o que nos acontece, mas quase sempre podemos escolher
o modo como reagimos aquilo que nos acontece.

Podemos fugir à tristeza? Não.
Podemos impedir todas as perdas? Não.
Podemos prender a nós todos os que amamos? Não.
Mas podemos usar os momentos de dor e separação como razão para tornar ainda mais importantes os momentos nos quais estamos ao lado dos que amamos; podemos tornar nosso trabalho mais profundo, podemos nos tornar pessoas diferentes daquilo que já fomos. Podemos escolher nossas reações.
Podemos ser, hoje, melhores do que fomos ontem.

Mesmo quando a realidade é dura, sua reação, sua resposta à ela pode levar você para frente, para novos horizontes e uma vida mais rica ou pode derrubar você.
Se isso acontecer e você cair ao chão, faça com que seja uma queda temporária.
Levante-se e ande..

O fracasso só existe se você não se levantar após uma queda.
Cabe a você -- e somente você -- escolher se os acontecimentos de ontem, hoje e amanhã serão usados para torna-lo uma pessoa melhor ou pior do que você é agora.

É apenas uma escolha. A sua escolha.
Qual será sua escolha hoje?

Carmem Imbassahy

domingo, 4 de julho de 2010

O Mestre Interior

Um dos maiores obstáculos para que entremos na dimensão espiritual de nosso ser é o turbilhão de pensamentos que domina o tempo todo nossa mente.

Como podemos usufruir o silêncio se nossa mente ansiosa insiste em ruminar acontecimentos passados ou, ao contrário, projeta-se para o futuro antecipando os fatos, com uma expectativa negativa?

Poucas são as pessoas que, ao vislumbrar o futuro, o fazem de modo positivo e otimista. Infelizmente, a maioria de nós se mantém focada no pessimismo, sempre esperando que algo ruim aconteça.

Não é de se admirar que isto seja assim, uma vez que a quase totalidade dos seres humanos vive sob o domínio absoluto da mente, acreditando que a racionalidade é a única forma confiável de se encarar a realidade da vida.

O mundo, na forma em que se encontra hoje, é o resultado direto desta distorção. Enquanto continuarmos ignorando a sabedoria divina que todos carregamos interiormente, nossa existência se resumirá a um caminhar na inconsciência até o túmulo.

Mas, sempre é tempo de realizarmos uma correção de rota e voltar nossos holofotes para o lado de dentro, pois é lá que se esconde a tão desejada paz com que sonhamos.

Enquanto acreditarmos que ela é apenas um sonho distante, quase impossível de atingir, certamente nos manteremos prisioneiros da negatividade e dos tormentos que habitam nossa mente.

Silenciar a mente só é possível quando nos dedicamos a observá-la e nos tornamos conscientes do padrão usual de pensamentos que cultivamos. Consciência é a chave para que passemos da condição de dominados para a de mestres da mente, e possamos utilizar todo o potencial que ela possui para beneficiar não só a nós como a nossos semelhantes.

Elisabeth Cavalcante

"Mente e Criatividade"

Amado Osho,
Na mente, no processo de pensar, há muita energia. Como podemos usar essa energia de um modo criativo e construtivo?

A pergunta é muito complexa. Soa simples, mas não é simples.
Você está perguntando: "A mente é cheia de energia; como usar essa energia de modo criativo e construtivo?".

Quem vai usar essa energia...?
Se a própria mente for usar essa energia, ela nunca poderá ser criativa e nunca poderá ser construtiva.

É isso o que está acontecendo por todo o mundo. É isso o que está acontecendo na ciência... Toda a miséria da ciência é que a mente está usando a própria energia... mas, a mente é uma força negativa - ela não pode usar nada criativamente, ela precisa de um mestre. A mente é um serviçal...!

Você tem um mestre?

Assim, para mim a questão é... a meditação desenvolve o mestre interno. Ela o torna completamente alerta e consciente de que a mente é um instrumento. Agora, então, o que quer que você queira fazer, você pode fazer. E se você não quiser fazer nada com ela, você pode pô-la de lado e pode permanecer em absoluto silêncio.

Neste momento, você não é o mestre - nem por cinco minutos... Você não pode dizer à mente: "Por favor, fique silenciosa por cinco minutos". Esses serão os cinco minutos nos quais a mente ficará mais veloz, correndo mais do que nunca... - porque ela terá de mostrar a você quem é o mestre....

...Se você tentar parar de pensar por cinco minutos, entrarão mais pensamentos do que nunca - pela simples razão de mostrar a você que você não é o mestre. Assim, primeiramente, a pessoa tem de conseguir a mestria; e o meio de se tornar o mestre não é dizer aos pensamentos: "Pare!". O meio de se tornar o mestre é observar todo o processo de pensamento.

...Seus pensamentos têm de compreender uma única coisa: que você não está interessado neles. No momento em que você tiver firmado isso, você terá alcançado uma grande vitória.

...Simplesmente observe. Não diga nada aos pensamentos. Não julgue. Não condene. Não os mande embora. Deixe-os fazer o que quer que estejam fazendo, qualquer ginástica - deixe-os fazerem; você simplesmente observa e desfruta. Trata-se de um belo filme. E você se surpreenderá: simplesmente observando, chega um momento em que os pensamentos não mais estarão presentes, não haverá nada para observar.

Essa é a porta que tenho chamado de nada, de vazio.
Por essa porta entra o seu ser verdadeiro, o mestre.
E esse mestre é absolutamente positivo; em suas mãos, tudo se transforma em ouro.

....Sem meditação, a mente é negativa, ela está fadada a estar a serviço da morte. Com meditação, o mestre está presente, e o mestre é positividade absoluta. Em suas mãos, a mesma mente, a mesma energia torna-se criativa, construtiva, afirmativa da vida.

....A mente é um instrumento tremendamente poderoso. Nenhum computador é tão poderoso quanto a mente do homem - não pode ser, porque ele é feito pela mente do homem. Nada pode ser, porque tudo é feito pela mente humana. Uma única mente humana tem tão imensa capacidade: num pequeno crânio, um cérebro tão pequeno, pode conter todas as informações contidas em todas as bibliotecas da Terra - e essa informação não é tão pequena assim.

...Mas o resultado desse imenso presente ao homem não tem sido benéfico - porque o mestre está ausente e o serviçal está comandando o espetáculo. O resultado é guerras, violência, assassinatos, estupros. O homem está vivendo num pesadelo, e o único meio de sair disso é trazer o mestre para dentro. Ele está aí, você tem apenas de puxá-lo para si. E a observação é a chave: simplesmente observe a mente. No momento em que não houver nenhum pensamento, imediatamente, você será capaz de se ver - não enquanto mente, mas como algo além, algo transcendental à mente.

E uma vez que você esteja sintonizado com o transcendental, então, a mente está em suas mãos. Ela pode ser imensamente criativa. Ela pode fazer desta própria terra o paraíso. Não há nenhuma necessidade de qualquer paraíso a ser procurado lá em cima nas nuvens, assim como não há necessidade de se procurar por qualquer inferno - porque o inferno nós já o criamos. Estamos vivendo nele.

...Você pode transformar este inferno em céu se a sua mente puder estar sob a direção do mestre, de sua própria natureza. E trata-se de um processo simples...
Mas não tente diretamente com a mente, caso contrário, você estará entrando numa encrenca.

...Não toque na mente. Primeiramente, apenas descubra onde está o mestre. Trata-se de um mecanismo complicado. Deixe o mestre estar presente e a mente funciona como um serviçal, muito perfeitamente.

No Oriente, nós fizemos isso. Gautama, O Buda, poderia ter-se tornado Albert Einstein sem nenhuma dificuldade; ele era um gênio muito maior. Mas toda a sua vida foi devotada à transformação das pessoas, para dentro da consciência, para dentro da compaixão, para dentro do amor, para dentro da bem-aventurança".

Osho- The Osho Upanishad.

Postagens Recentes