Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sábado, 18 de setembro de 2010

Viver

A vida é o dom mais precioso que recebemos. Feios ou bonitos, grandes ou pequenos, ricos ou pobres, todos os que vivemos aqui, estamos porque um dia vencemos a nossa primeira batalha na luta pela sobrevivência.
Eram milhões nessa corrida, mas fomos nós que chegamos na reta final. Todos já nascemos vencedores e nem nos damos conta. O que muda na nossa vida vem depois. Porque essa luta, foi só um começo de uma série de batalhas para se ter um lugar ao sol.

Viver nem sempre é fácil.
O fato de que respiramos nos torna seres viventes, mas isso não significa necessariamente que vivemos a vida.
Vive quem aproveita todas as oportunidades para se aperfeiçoar, vive quem pensa nos outros além de si mesmo, vive quem não fica parado esperando que as coisas lhe caiam do céu. Vive quem consegue guardar a fé na adversidade.
Caminhar pela vida pode ser difícil muitas vezes.

Todos os caminhos não são asfaltados e nem sempre temos calçados bons o suficiente para enfrentar os pedregulhos de uma estrada de chão.
Mas é justamente nesses caminhos que podemos mostrar quem somos. Os fracos desistem, os frágeis se cansam e se sentam, os perseverantes continuam e tornam-se vitoriosos.
Porque a gente sempre sai mais forte depois de uma adversidade. Tudo na nossa vida é uma questão de atitude.

Se fomos vitoriosos na nossa primeira batalha, o que nos impede de continuar sendo na vida? Isso explica o tal de: "fulano começou do nada e olha onde chegou".
O tempo que gastamos em lamentações poderia ser muito útil para outras coisas.
Viver é isso: andar, correr, cair, se machucar, se levantar, comprar remédio, fazer curativo e começar tudo de novo. Com a cabeça erguida e, no meio disso tudo, um sorriso guardado para qualquer situação e os olhos sempre fixos em Deus, para que possamos dizer como o Apóstolo Paulo: "Posso todas as coisas nAquele que me fortalece."

Letícia Thompson

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

A Alma se lembra

Seja o que for que vocês se esqueceram acerca da alegria, da paz, do amor incondicional e das bênçãos do espírito, a sua alma se lembra. Ela se lembra de que há uma conexão interna com um espaço onde vocês são livres da culpa, da vergonha e das energias que os deprimem e que fazem vocês acreditarem que são menos que perfeitos. A alma se lembra do motivo pelo qual vocês estão aqui, do propósito de cura e das tarefas que concordaram em concluir. E a alma se lembra de uma época em que vocês eram livres, inteiros, completos e viviam com alegria ilimitada. Sempre que se esquecerem de quem são, peçam para sua alma lhes lembrar.

A alma está ciente da dor que vocês experienciaram em cada existência, do medo e do desespero que sentiram ao acreditar que estavam separados da Fonte. Ela guarda essas memórias para vocês, a fim de ajudá-los a se lembrar do propósito da sua jornada de cura e dos desequilíbrios energéticos que precisam integrar novamente. Lembra-lhes que se originaram da perfeição e de que o seu caminho de cura é o que lhes trará e a toda humanidade à harmonia com a divindade.

A alma é a sua presença divina na forma física e guarda a memória da divindade até que vocês possam se reconectar com ela. A memória humana está centrada nas limitações, na carência e na imperfeição e necessita de que a alma lembre de que vocês são a luz do mundo, uma encarnação humana da Fonte, a resposta às orações para a paz e o amor. Quando vocês se esquecerem de que sua luz brilha intensamente tanto interna quanto externamente, a alma os ajudará a se lembrar.

A alma aguarda pacientemente que vocês reconheçam a sua presença, para pedir força quando sentirem que fracassaram ou que não podem continuar em sua jornada, para conectar-se com o momento de paz quando a realidade está imersa no caos. Ela mantém sob proteção suas memórias mais preciosas e cada vez que se esquecerem de quem vocês são e do motivo pelo qual estão empenhados nesta jornada, a alma terá as respostas. Vão para dentro de si mesmos, conectem-se com as belas memórias do Lar que a sua alma guarda, e encontrem a paz mediante o conhecimento de que não vieram aqui sozinhos. A parceria com a sua alma é tudo de que precisam para se lembrarem da alegria do céu e do amor que os envolve, os protege e que está a sua disposição.

Mensagem do Arcanjo Uriel Canalizada por Jennifer Hoffman
23 de março de 2009


Tradução de Ivete Brito
Direitos reservados © 2004,2005, 2006 para Jennifer Hoffman

Sejamos Luz!


O Divino escultor esculpiu nossa imagem-forma na Luz.
Sorrindo, Ele disse dentro de cada espírito:

“Você ocupará muitas formas na existência, terá vários rostos e corpos, de cores e formatos diferentes, mas a sua verdadeira face é a da Luz!” Porém, o tempo passou, e nos identificamos com as diversas formas,não só físicas, mas, também, com aquelas mentais e emocionais.

Passamos a viver e agir nas formas, mas sem sentir o Espírito em nós. Passamos a viver de forma vazia, sem sentido e sem profundidade.
Apegamo-nos demais às formas moldadas e condensadas nas energias da natureza, e mesmo quando elas se desgastam, e o seu uso não é mais possível, ficamos meio perdidos, chorando sobre a referência externa com a qual nos identificávamos tanto.

Foi por isso que o sábio Jesus disse: “Deixem que os mortos enterrem os seus mortos!”
O Rabi estava certo: quem anda com o espírito entorpecido nas ilusões sensoriais do mundo e acha que é só isso que existe, na verdade está morto de raciocínio, percepção e espírito.
Confundir a Luz do espírito com a casca abandonada é o mesmo que confundir a roupa com quem a veste.

Se é necessário respeitar o invólucro carnal abandonado, pois era morada do espírito em ascensão, é mais necessário, ainda, respeitar o próprio espírito, essência imperecível e dotado de todos os potenciais celestes. E
nenhum espírito, em época alguma, jamais foi seguro pelo caixão ou pelo solo onde o seu corpo ficou sendo transformado em outras
energias pela generosa Mãe Terra.

Aos corpos que ficam na Terra, o nosso muito obrigado, por tudo o que aprendemos por intermédio deles. Porém, somos espíritos com a face da Luz! Somos forma e semelhança da Luz, pois não somos animais vertebrados, somos consciências imperecíveis. Somos a cara de Deus!

Não somos brancos, negros, amarelos ou vermelhos. Não somos nem mesmo terrestres, pois qualquer espírito é egresso de outros planos sutis, não-físicos. Portanto, somos extraterrestres, pois terrestres são apenas os corpos que ocupamos temporariamente.

SOMOS LUZ!

Enquanto os “mortos enterram os seus mortos”, os espíritos continuam vivendo além... Os primeiros olham as tumbas e choram a ilusão de suas referências apenas físicas; os últimos olham para as estrelas e alçam vôo para outras paragens. E lá em cima não há nenhum número de tumba como referência, nem esquifes enterrados para alguém se guiar na dor de sua perda ilusória. O que tem mesmo é uma infinidade de espíritos
vivos, todos com a cara de Deus!

O Divino Escultor esculpiu nossa imagem-forma na Luz. Portanto,
façamos jus a essa Luz.

SEJAMOS LUZ!

Wagner Borges

Postagens Recentes