Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

quarta-feira, 14 de março de 2012

Liberte-se dos julgamentos, pois quem julga só reconhece um único lado da história, e perde grandes oportunidades de aprendizado e crescimento.
Só podemos julgar um fato quando fazemos uma investigação das causas. Conhecer as causas nos abre um leque de possibilidades e de abrangência sobre aquilo que investigamos.
Isso nos conduz à verdade.
Embora seja impossivel descobrir a verdade absoluta. E igualmente impossivel não descobri-la de modo nenhum.
-Gopi Tankahaylah-

domingo, 11 de março de 2012

Livre Arbítrio

Ninguém melhor que você pode saber o que é bom para a sua vida.
Ninguém, com suas experiências, por mais frutuosas que tenham sido, poderá ditar o que você deve ou não fazer.
Quando estiver diante de uma escolha difícil... quando seu coração disser uma coisa e a razão, acompanhada de amigos, família, namorado ou namorada, disser outra, pense bem.
Não se deixe levar por uma coisa, nem outra. O coração é facilmente levado por emoções e tem tendência a fazer com que percamos um pouco a nossa razão, ou a capacidade de raciocínio coerente. O coração é um romântico incorrigível!
Mas a razão sozinha não poderá ditar as regras da sua vida. Nem tampouco os que convivem com você. É preciso levar em conta a suas necessidades de bem-estar. Fazer algo porque todo mundo acha que deve ser assim é absurdo. É muito importante não magoar e nem decepcionar os outros, mas isso não deve ser às custas do sacrifício da própria vontade e necessidade de ser feliz. Ninguém, por mais próximo que seja, poderá decidir o que você vai viver. É sua vida! E você só tem essa!
É muito fácil dizer o que os outros devem ou não fazer. Não é por que se está de fora que vê-se melhor. A verdade é que decidindo por nós as pessoas tornam-se responsáveis pelas nossas escolhas. Mas isso, pode ter certeza, não passa pela cabeça delas. Se formos infelizes depois elas não vão dizer: "descanse, fique de fora que vou ser infeliz por você, pois a culpa foi minha." E, para falar a verdade, mesmo se fosse o caso, isso não seria possível. Ninguém, sofrendo nossas dores, faz com que dôa menos em nós.
É digno e honesto cumprir promessas. Mas é desonesto cumpri-las somente por dever, sem que haja um real sentimento movendo essa decisão.
Ser honesto com os outros é muito bom. Mas, antes, é fundamental ser honesto consigo mesmo.
Por mais doloroso que seja, por mais difícil que possa parecer, libere-se do que pensam e dizem os outros. Pergunte-se: - o que eu quero para minha vida?
Uma coisa é certa: talvez você não saiba exatamente o que você quer, mas sabe muito bem o que não quer.
Quando seu coração estiver brigando com sua razão, tente pensar no que vai te fazer feliz a longo prazo.
Mas, mais importante ainda, feche seus olhos e se entregue nas Mãos dAquele que nos conhece antes mesmos que fôssemos nós. Mas faça isso de verdade, com sua alma. Ele sabe do nosso amanhã. E Ele não vai decidir por nós, ou impôr, mas vai certamente nos colocar uma luz que vai clarear nosso caminho.
E fique atento... os sinais aparecerão. E você saberá qual o caminho escolher. Talvez as pessoas mais próximas não entendam, se isso vier a contrariá-las. Mas eu aprendi que na vida habitua-se a tudo.
Todo ser humano merece respeito. E os que te amam saberão entender.
E eu digo: tente encontrar o equilíbrio entre o que diz seu coração e a razão. A sua escolha será certa!
Que Deus te abençoe!

Letícia Thompson

As taças...

Se qualquer ser humano se deparasse com a seguinte cena: uma bandeja contendo três taças, a primeira com água até a borda, a segunda com um pouco de água e a terceira praticamente vazia, provavelmente pensaria que a melhor delas seria a primeira,
afinal, continha água suficiente para matar a sede de uma pessoa.

A terceira, aos olhos humanos, seria uma desafortunada, uma esquecida ou quem sabe uma coitada, não cumpriria sua função.

Os olhos humanos, porém, não enxergam pela lógica de DEUS, a lógica do ser humano que só cresce quando aprende.

Sabemos que as mudanças que acontecem na vida das pessoas, a princípio assustam ou até chocam, mas, com o passar do tempo, o aprendizado gerado pelo “mudar” provoca crescimento significativo no interior das pessoas.

Nas mudanças perdemos e ganhamos em um dialético processo que envolve mortes e ressurreições. Deixamos algo para trás e adquirimos algo do novo que chega. Saímos de uma situação acomodada do costumeiro cotidiano para mergulharmos na escuridão do
desconhecido.

Imaginem a mesma cena inicial, em qual das taças há espaço para água nova?
Em qual taça poderia ser depositado o mais saboroso dos vinhos? Qual taça mantém espaço para o novo?

Nem sempre o que é visível é o melhor, nem sempre o que parece catastrófico
realmente é. Muitas vezes a taça vazia, o não estar completo nem fechado, o desejo de algo mais abre nossa vida para um universo de possibilidades.

Nós humanos muitas vezes nos enchemos de cursos, formações, títulos, seguranças financeiras, fanatismos, verdades cristalizadas, saberes protegidos pela redoma que construímos ao redor de nossos corações e nos esquecemos do mais importante: dar
espaço para DEUS entrar, dar espaço para crescer com o cotidiano que tanto nos ensina se soubermos observá-lo não somente com os olhos.

Quando enchemos nossa taça de água não há espaço para o bom e verdadeiro vinho. Quando depositamos nossa segurança em tantos saberes nos fechamos para o aprender. Perdemos a condição de eternos aprendizes.

Se você não se sente completo, se não se sente pronto e acabado, que bom!
Você está vivo e pronto para experiências novas, aprendizados novos, para o crescimento pessoal, familiar e profissional.

Freud dizia que o maior perigo da humanidade é achar que sabe.
Ser aprendiz significa que na taça da minha vida tem espaço para mais vida.

Todos nós, pais, filhos, profissionais ou pessoas, temos espaço livre para o novo que virá com as mudanças, somos pessoas que já têm um pouco de vida, valores e experiências na sua taça, porém, ainda não se fechou ao que ainda virá.

Bem aventurados aqueles que aos olhos humanos são incompletos, insuficientes
e incapazes momentaneamente, pois neles há espaço para a vida em abundância!
Pensando assim, que bom olharmos para nossas crianças, as taças delas estão só com um fundinho de água e temos muito espaço para ensiná-las que a vida é aprender sempre.
Somos aprendizes do amor, da profissão, da vida em família, da felicidade!

Não lamente se hoje sua taça está quase vazia! Alegre-se que nela há espaço para ser feliz!

Nota: Esta Crônica consta do livro APRENDIZES " Porque felicidade também se aprende"
da autora: Adriane Albuquerque Cirelli

Postagens Recentes