Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

domingo, 26 de junho de 2011

Eu sinto a angústia pulsando na sístole e diástole do meu coração, eu vejo o espaço entre as pessoas, tudo aquilo que as separa e as aparta uma das outras. Mas enxergo também as linhas invisíveis que me ligam a elas, os fios de prata brilhantes, ligações energéticas e espirituais fluindo como rios, desconhecidas aos insensíveis e tão visíveis aos sensíveis.

Eu sinto o vazio dentro de mim sendo preenchido pouco a pouco, pelo tempo que abarca, abraça e engoli toda minha existência, eu vejo a morte sorrindo, mas é uma morte branca e calma, a morte que acontece, mas não existe, porque a vida é muito maior. Eu entendo a morte não como um ponto final, mas como reticências...

Sentado me aquecendo na fogueira que ardem junho, penso que se eu pudesse saber realmente quem eu sou, saberia um pouco mais sobre quem você é. Apesar da distancia entre nós, somos parecidos. Perdi um pouco daquela urgência, ando mais ponderado e por isso, mais no centro de mim, já não me esfacelo tão facilmente, ando mais solido por fora, mas ainda mais macio por dentro. Embora isso pareça uma grande façanha, é apenas mais um dos objetivos da minha alma.
O de passar por aqui deixando pegadas.

Andre Luis Aquino

Paciência, você ainda tem?

O mais difícil é ajudar em silêncio, amar sem crítica, dar sem pedir, entender sem reclamar... A aquisição mais difícil para nós todos chama-se paciência. Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.
Por muito pouco a madame que parece uma 'lady' solta palavrões e berros que lembram as antigas 'trabalhadoras do cais'... E o bem comportado executivo? O 'cavalheiro' se transforma numa 'besta selvagem' no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar...
Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para su a cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma 'mala sem alça'. Aquela velha amiga uma 'alça sem mala', o emprego uma tortura, a escola uma chatice. O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela. Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado...
Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.
Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus.
A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.
Pergunte para alguém, que você saiba que é 'ansioso demais' onde ele quer chegar? Qual é a finalidade de sua vida? Surpreenda-se com a falta de metas , com o vago de sua resposta .

E você? Onde você quer chegar? Está correndo tanto para quê? Por quem? Seu coração vai agüentar? Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar? A empresa que você trabalha vai acabar? As pessoas que você ama vão parar? Será que você conseguiu ler até aqui? Respire... Acalme-se... O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência....

Arnaldo Jabor

Postagens Recentes