Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Sonhos de mãe

Safiya Hussaini, 37 anos, mulher, negra, pobre, nigeriana.

Aquela é uma mulher sofrida. Mãe de 9 filhos, dos quais perdeu 5 para a malária, vive na casa do velho pai, na mais completa miséria.

Analfabeta e ignorando as leis que deveria obedecer, fôra condenada à morte por apedrejamento, no ano de 2001.

Qual foi o seu crime? A gravidez fora do casamento.

Safiya deu à luz uma menina chamada Adama.

A condenação era fato, e a pena estava prescrita: Safiya seria enterrada até à altura das axilas, e depois seria apedrejada até à morte.

No entanto, a lei estabelece que para a execução é preciso esperar que a criança seja desmamada.

Enquanto a mãe amamentava a criança, houve tempo para que pessoas de todo o mundo se mobilizassem para impedir a execução cruel.

Algum tempo depois, uma defesa bem elaborada por vários advogados, conseguiu que o supremo tribunal da Nigéria absolvesse aquela mulher-mãe.

Quatro anos depois, ao ser entrevistada por uma rede de televisão brasileira, Safiya falava, com certo pesar:

“Perder os filhos foi a coisa mais triste da minha vida, muito mais doloroso do que a ameaça de morte por apedrejamento.”

A nigeriana conta que o medo era seu companheiro inseparável, e que pensava principalmente na filha pequena, que ficaria sozinha se ela morresse apedrejada.

Como a sua história foi notícia no mundo inteiro, comoveu pessoas de bom coração que enviaram recursos para que Safiya pudesse construir uma casa para viver com os filhos.

A construção singela ficou pela metade porque os recursos acabaram, mas o sonho daquela mãe ainda está vivo.

O sonho é simples e não custa muito: ter uma casinha para viver tranqüilamente com seus filhos.

Adama, já com quatro anos, aconchegada ao colo da mãe diante das câmeras, nem suspeitava que havia sido a causa de tudo.

Safiya, uma mãe como tantas outras. O amor pelos filhos acima do próprio sofrimento e da ameaça de morte.

Ser mãe é uma condição que traz algo em comum em qualquer lugar do mundo, não importando a nacionalidade, a cor, a posição social. E esse algo mais é o amor pelos filhos.

Um coração de mãe é esse santuário seguro onde os filhos encontram refúgio, incondicionalmente.

Nem a penúria, nem a desgraça, nem o pavor da morte, podem extrair de um coração de mãe esse sentimento chamado amor.

Um coração de mãe é a mais sublime harpa viva, de onde se pode ouvir as mais belas canções de ninar...

Os mais belos poemas de ternura...

A mais encantadora melodia de amor e dedicação.

Um abraço de mãe é o mais tranqüilo aconchego que se pode almejar...

É o laço de afeto que afugenta o medo, desfaz a tristeza, traz segurança e atrai a esperança...

A abnegação de mãe é a força capaz de modificar o mundo, de reconstruir jardins devastados pela invernia, restaurar corações quebrados e fazer brilhar a luz onde a noite ameaça...

* * *

Na figura de Safiya, a mãe pobre da Nigéria, maltratada pelos açoites da dor, pelo preconceito, pela penúria extrema, desejamos fazer uma singela homenagem a todas as mães do mundo...

Mães de filhos ausentes...

De filhos delinqüentes...

Filhos encarcerados...

Mães de filhos ingratos...

De filhos desaparecidos...

Filhos meninos e filhos crescidos...

A todas as mães de filhos presentes...

De filhos inteligentes...

Filhos amorosos...

Mães de filhos dos filhos...

Mães de filhos honrados...

De filhos agradecidos...

Filhos desesperados...

Enfim, nossa homenagem sincera a todas as mães da face da terra, mães de todas as raças, de todas as cores, de todas as crenças, de todas as idades... Mães apenas.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em reportagem feita pela Rede Globo de Televisão, apresentada no programa Fantástico, no dia 24/05/2005.

Os fluidos nos obedecem



Existe em todo o cosmo um suprimento de luzes, de varias cores, que nos emprestam o bem-estar, tranqüilizando todos os nossos corpos e ajudando a nos harmonizarmos a nós mesmos. Compete a cada criatura adestrar-se na ciência espiritual, movendo-se em todos os rumos do saber, para melhor usar essa força divina que podes chamar de hálito de Deus, fluído cósmico, prâna ou éter divino, meio esse que o Senhor, como Força Soberana, espalha por toda a Sua criação. O éter cósmico, ao chegar nas franjas dos mundos, passa a ser éter físico, com várias modificações, pela bênção do Criador para Seus filhos do coração.

Esse suprimento espiritual que nos dá e sustenta a vida, ao penetrar em nós passa igualmente por radicais mudanças. Todas as curas são feitas por seu intermédio. Ele é o estabilizador comum em todas as áreas, o motivador de todas as alegrias da vida, por carregar na sua intimidade a alegria de Deus. Esse fluído sensibilíssimo é capaz de gravar na sua integridade os nossos desejos, as intenções, as nossas idéias, como sendo nossa mensagem, e, as leva para a nossa consciência, bem como para a presença do Benfeitor Universal. Esses fluídos nos obedecem e quanto mais conhecemos as leis que os dirigem, mais os atraímos para junto a nós

Chamamos atenção de todos os espiritualistas neste campo de operação: que cuidem de educar suas emoções, de disciplinar seus sentimentos para não perderem as oportunidades de serem úteis a si e aos outros, por intermédio dessas ondas de luz, que intercruzam toda a criação de Deus. Sabes onde poderemos encontrar instruções no sentido de compreender e atrair esses fluídos curativos? No Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. As curas que Ele fez foram na sublimidade deste agente de Deus, assim como também, aquelas realizadas por Seus discípulos. Quanto mais puro o coração, mais puros os fluídos que atraímos. A mente poderosa faz maravilhas, como aconteceu com os grandes santos, os místicos e os profetas.

Todavia, somente Jesus nos mostrou a pureza de sentimentos mais elevados que já se viu no planeta, com os quais operou curas instantâneas. Mas não deves esmorecer; começa a modificar teus sentimentos, começa a pensar melhor, a criar idéias elevadas, a ajudar o próximo pelos modos mais convenientes. Começa a fazer a caridade do modo que entenderes que deva ser feita, mas não te esqueças de orar, vigiando, que Deus te dará condições de entender melhor o que deves fazer dos teus valores. Assim, os fluídos que se acumularão em torno da tua personalidade, pela tua vontade, serão teus servos, porque levam a tua mensagem de acordo com as tuas intenções. Procura aprender a pensar e a sentir, e usa teus poderes para o bem de todos, que o Bem não tardará a vir em teu caminho. Lembra-te de que os fluídos nos obedecem, mas somos responsáveis por eles.

Livro: Força Soberana – João Nunes Maia – Pelo espírito Miramez

Maestria

Ser um lutador no mundo, ser um guerreiro, não é nada extraordinário. Todos são mais ou menos guerreiros, porque o mundo inteiro está lutando. Ele é uma guerra contínua, às vezes quente, às vezes fria.

Cada indivíduo está lutando, porque todos são educados na ambição, todos envenenados com ela. E onde há ambição, há luta, competição. Todos são muito ambiciosos, porque todas as sociedades que existirão até agora viveram baseadas na ambição. Todos os sistemas educacionais nada fazem, exceto condicionar as crianças a serem ambiciosas e bem sucedidas.

A valentia real, a luta real, não está no exterior. A luta real é interna, é uma conquista interior. Embora Alexandre possa ter sido um grande guerreiro, no que se refere a seus próprios instintos ele era um escravo. Napoleão pode ter sido um grande soldado, mas, no que se refere à sua própria raiva, ânsia e possessividade, ele era tão comum quanto qualquer outro.

Os realmente valentes foram Jesus, Buda, Gandhi - esses tipos de pessoas. Eles sobrepujaram a si mesmos. Nenhum desejo poderia puxá-los para cá e para lá, nenhum instinto inconsciente teria poder sobre eles. Eles foram mestres de suas própria vidas.

Conquistar o mundo não é uma bravura real; conquistar a sí mesmo é.

Osho

Crie a idade que você quiser

O maior engano das pessoas é contar a idade pela soma dos aniversários.
É como dizer que uma pessoa tem mais ou menos saúde de acordo com o número de refeições que faz.
Ralph Waldo Emerson, filósofo norte-americano, disse que:"Nós não contamos os anos de um homem até que ele nada tenha a contar".
Para comprovar que não tem o menor fundamento essa maneira empírica de contar a idade, basta você olhar ao seu redor. Verá pessoas envelhecidas e desiludidas com vinte anos de idade e verá pessoas brilhantes,magnéticas, com setenta anos.
Não aceite a propaganda constante que fala de velhice, esclerose, inutilidade, aposentadoria, imprestabilidade.Isso é mentira.A idade nada tem a ver com isso.
Você somente está envelhecendo quando acreditar que está envelhecendo.
Os valores mais fortes da vida, que mantém uma pessoa vigorosa, sadia, jovem,
produtiva, não são patrimônio exclusivo de uma fase da existência, mas se encontram em todas as idades.
Você tem a idade dos seus pensamentos.
No momento em que perder o interesse pela vida,você está envelhecendo.
Quando você deixar de sonhar, está envelhecendo.
Quando você não procura mais entender a visão do seu futuro, registre no seu caderno de apontamentos que você começou a envelhecer.
Você quer saber quando está se aproximando da perfeição?
Precisamente no momento em que se fizer simples, leve, agradável, positivo e aberto,
como as crianças.
O grande Mestre disse:"Se não vos tornardes como crianças não entrareis no reino dos céus".
Tenha, pois, a idade espiritual da criança.
Seja livre, confiante,alegre, simples, grato, amável, corajoso e fraterno como as crianças.
Acredite na vida, como as crianças.
Confie nos outros, como as crianças.
Viva o presente, como as crianças.
Encare o futuro, como as crianças,sem medos e angústias antecipados.

Lauro Trevisan

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O que é Amor?

Amor é radiância, a fragância de conhecer a si mesmo, de ser você mesmo.Amor é uma alegria transbordante. Amor é quando você viu quem você é; então não resta nada exceto compartilhar o seu ser com outros. Amor é quando você viu que não está separado da existência.Amor é quando você sentiu uma unidade orgânica, orgástica com tudo que é. Amor não é um relacionamento. Amor é um estado de ser; não tem nada a ver com nenhuma outra pessoa. A pessoa não está em Amor, ela é amor. E é obvio que quando alguém é amor, ele está em amor – mas isso é uma conseqüência, um subproduto, não é a fonte. A fonte é que a pessoa é amor.Amor é quando você conheceu o seu céu interior.Amor é um profundo desejo de abençoar a existência toda.... O amor é algo eterno."
"A Energia do Amor está no ar. Que essa energia se expanda e alcance todos os nossos corações".

Osho

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Seja uma luz para si mesmo

Se o zen é o caminho da entrega, por que o ensinamento básico de Buda é "seja uma luz para si mesmo"?
A entrega essencial acontece dentro de você, nada tem a ver com alguém de fora. A entrega essencial é um relaxamento, uma confiança — não deixe se enganar pela palavra.

Em termos linguísticos, entregar-se significa render-se a alguém, mas, em termos religiosos, significa simplesmente confiar, relaxar. É mais uma atitude que um ato — você vive por meio da confiança.

Deixe-me explicar. Você nada na água — vai até o rio e nada. O que acontece? Você confia na água. Um bom nadador confia tanto que quase se une à água. Não luta contra ela, não a agarra, não fica duro e tenso.

Se ficar duro e tenso, você se afogará; se ficar relaxado, o rio cuidará de tudo. É por isso que, quando alguém morre, o corpo flutua na água. Isso é um milagre.

Incrível! A pessoa viva se afogou e morreu no rio, e a pessoa morta simplesmente flutua na superfície. O que acontece? O morto sabe segredos sobre o rio que o vivo não sabia. A pessoa viva estava lutando. O rio era o inimigo. Ela tinha medo, não conseguia confiar. Mas, sem estar lá, como a pessoa morta poderia lutar? Ela está totalmente relaxada, livre de tensões, e de repente o corpo vem à tona. O rio cuida agora. Nenhum rio pode afogar uma pessoa morta.

Confiar significa não lutar; entregar-se significa não pensar na vida como o inimigo, mas como o amigo. Quando você confia no rio, de repente começa a se divertir. Surge imenso prazer — você nada, apenas boia ou mergulha fundo. Mas não está separado do rio — vocês se fundem, tornam-se um.

Entregar-se significa viver da mesma maneira que um bom nadador nada no rio. A vida é um rio. Você pode lutar ou flutuar; pode resistir ao rio e tentar nadar contra a correnteza ou flutuar com ele e ir aonde ele o levar.

Não se trata de entregar-se a uma pessoa; é simplesmente um modo de vida. Não é preciso um Deus a quem se entregar. Há religiões que acreditam em Deus, há outras que não acreditam, mas todas acreditam na entrega. Portanto, a entrega é o verdadeiro Deus.

O próprio conceito de Deus pode ser descartado. O budismo não acredita em nenhum Deus, o jainismo também não — mas são religiões. O cristianismo acredita em Deus, o islamismo acredita em Deus, o sikhismo também acredita — e também são religiões.

O cristão prega a entrega a Deus — Deus é apenas uma desculpa para você se entregar. É uma ajuda, pois é difícil se entregar sem um objeto. O objeto é apenas uma desculpa para que, em nome de Deus, você se entregue.

O budismo diz simplesmente: Entregue-se — não há um Deus. Relaxe. Não há a necessidade de um objeto, é tudo uma questão de subjetividade. Relaxe, não lute. Aceite.

A crença em Deus não é necessária. Na verdade, a palavra "crença" é feia. Não demonstra confiança, não demonstra fé — crença é quase o posto de fé. A palavra "crença" em inglês — belief — vem da raiz arcaica lief, que significa desejo, desejar.

Deixe-me explicar. Você diz: "Acredito no Deus misericordioso". O que está dizendo exatamente? Está dizendo: "Gostaria que existisse um Deus que fosse misericordioso". Quando diz: "Acredito", está dizendo: "Desejo intensamente".

Mas você não sabe.

Se você sabe, não é uma questão de acreditar. Você acredita nas árvores? Acredita no sol que nasce todas as manhãs? Acredita nas estrelas? Não é uma questão de crença. Você sabe que o sol está lá, que as árvores estão lá. Ninguém acredita no sol — se acreditasse, você diria que é louco.

Se alguém lhe dissesse: "Acredito no sol", e tentasse convertê-lo a acreditar, você diria: "Você está louco!"

Osho

A busca da perfeição

A perfeição é inerente ao nosso ser e, de uma maneira ou de outra, a certa altura somos levados a conscientemente aspirar a ela.
Buscá-la é um processo riquíssimo, de descobertas contínuas, em que vamos pouco a pouco nos adestrando. Sem dúvida, exige persistência. Mas, ao contrário do que muitos pensam, a perfeição não é algo a ser construído ou acrescentado. É a própria essência da vida, a que chegamos pelo despojamento e pela simplicidade. Para isso é preciso silêncio diante do que nos é desconhecido.

No profundo de nós mesmos existe um modelo que corresponde à ideia original que nos trouxe ao mundo. Para reconhecer esse modelo temos de nos desidentificar da natureza humana, isto é, temos de saber que não somos as forças instintivas, emocionais e mentais. Nossa consciência transcende tudo isso. E aqui está uma chave importante: esforçarmo-nos nessa direção, mas sem contar com resultados.

Se nos mantivermos nessa disposição, notaremos surgir em nós uma força, um movimento interior que vai tomando o lugar da luta. Embora esforço seja necessário e gere tensão positiva, em que permanecemos sempre prontos a acolher essa intervenção superior, cabe-nos observar até que ponto temos de exercê-lo e até que ponto essa ação interna teve início. E, também, até que ponto outras energias, cósmicas, já estão colaborando nesse processo. Vamos então, cada vez mais, deixando-nos guiar por um sentido interior. Isso é possível hoje como nunca antes, e imensa é a ajuda disponível para os que realmente se voltam para a luz.

Assim, podemos estar em contínua invocação. O pensamento se torna magnético, uma vez que surge de uma aspiração impessoal. Deixamos de usar a sua força de maneira egoísta e nos aproximamos de um pensamento criativo, que ao se dirigir a um ser ou a um objeto pode trazer à tona a perfeição que mora ali dentro.

É conhecida a história de um ser evoluído que à beira de um caminho deparou com um animal morto em avançado estado de decomposição. Ao olhar para aquele corpo que a todos causava repulsa, disse apenas: ``Que belos dentes!``, como se nos mostrasse o que fazer com as pessoas, com as coisas e com tudo. Isso não quer dizer que não perceberemos o que estiver degradado ou desordenado. Veremos também isso, mas apenas de relance, e nosso pensamento logo tomará outra direção.

José Trigueirinho Netto

Invocação para a saúde

Ó! Deus Todo-Poderoso, presente em meu coração! Enche meu corpo com tanta Luz que ela rejeite toda imperfeição, toda impureza e toda discórdia que façam mal ao corpo físico. Que Ela afaste tudo o que não é Luz e que Ela vele para que toda discórdia, toda dor, toda imperfeição e toda impureza não possam mais penetrá-lo. Que ela tome possessão de todo corpo humano.

Ó! Potêcias de Luz! Ó! Deus Todo-Poderoso, presente em meu coração! Sede Mestre de toda forma humana e que ela vos obedeça absolutamente. Fazei de mim um ímã que atraia todo o bem e afaste todo o mal que tentar entrar no meu corpo. Eu aceito esta grande manifestação de amor e vos agradeço.
EU SOU - EU SOU - EU SOU

Tola Gynska

Postagens Recentes