Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Pessoas e Flores

Estava passando de carro por uma rua movimentada quando o sinal fechou bem em frente a uma floricultura... Meus olhos passearam distraídos pelas lindas flores de um vaso de uma cor tão bonita que me fez, por um momento, esquecer todo barulho do trânsito.

Minha mente... nesse pequeno intervalo... aproveitou para também passear por outros espaços me remetendo a um outro tempo... Me lembrei de um dia numa outra floricultura onde fui comprar um vaso de flores para alguém e a minha reação às flores foi completamente diferente daquela que este pequeno vaso estava provocando em mim agora... de puro encantamento.

Naquele outro dia eu em casa já sabia exatamente o que queria e a imagem das flores já tinha vindo muitas vezes à minha mente que se encarregou de fazer um arranjo perfeito... na forma... nas cores... no tamanho... em tudo... nisso ela não se faz de rogada... é mesmo muito criativa.

Então... com o arranjo já todo pronto, deixei para a última hora o ato de comprar as flores porque nem me passou pela cabeça que ele poderia não existir naquela forma.

Mas cheguei na floricultura e nada do meu arranjo... Olhava ansiosa buscando ao redor na certeza que ele estaria ali me esperando... nada... entre tantos vasos de flores... nenhum se parecia com o meu... e eu não conseguia achar um vaso bonito o suficiente para me decidir entre os que estavam ali disponíveis no momento.

Então acabei comprando um vaso de pequenas flores cor de rosa, mas... nem de longe me deram aquela sensação de contentamento que eu teria... se tivesse encontrado as flores... que minha mente tão cuidadosamente usou para o arranjo que criou para mim.

Mas qual não foi a minha surpresa quando a pessoa que recebeu as flores se encantou por elas... eu fiquei feliz e até meio assustada porque não esperava de forma alguma uma reação tão favorável a um vaso que para mim não era o ideal porque fugia - e muito - às especificações da minha mente...

Despertei com a buzina dos carros me chamando a atenção para o fluxo do trânsito que insistia em querer continuar... apesar da beleza das flores...

Entendi num segundo como perdemos maravilhas por querer adaptar a natureza a modelos criados pela mente e pela razão.

As pessoas... como as flores, são únicas... em nuances... em tons... em perfumes... em magias e encantamentos... tão diversificadas que as fazem especiais justo por serem únicas naquela forma natural de ser..

Saber enxergar e aceitar simplesmente como elas são... sem querem modificar nem as pessoas nem as flores... para que caibam exatamente dentro das nossas expectativas... pode nos trazer surpresas mágicas e fazer com que um dia cinzento e sem graça no meio de um trânsito arrasador de uma cidade grande... se torne por um momento que seja... encantado e eterno... e por isso mesmo inesquecível.

Rubia A. Dantés

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A cobra e o vagalume


Sobre a inveja

Conta a lenda que certa vez uma serpente começou a perseguir um vagalume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora, mas a serpente nem pensava em desistir. Fugiu um dia, e ela nao desistia; fugiu dois dias, e nada. No terceiro dia, já sem forças, o vagalume parou e disse à cobra:
- Um momento. Posso lhe fazer três perguntas?
- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, disse a cobra, mas já que vou devorá-lo mesmo, esteja à vontade, pode perguntar.
- Pertenço à sua cadeia alimentar ?, perguntou o vagalume.
- Não. Respondeu o ofídio.
- Eu lhe fiz algum mal? redarguiu o inseto.
- Não. Respondeu novamente a cobra.
- Então, por que você quer acabar comigo? Perguntou novamente o ofídio
- hhmm. Não sei... É uma coisa assim, tipo...

Não suporto te ver brilhar!!!! disse finalmente a cobra.

Moral da história::
“Se a sua estrela não brilha, não ofusque a dos outros”.

Diariamente estamos sendo perseguidos por víboras, seja em nosso ambiente de trabalho, seja na escola ou meio social. Pense nisso e selecione as pessoas em quem confiar.

Fonte: intermet

Postagens Recentes