Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Solte as amarras

Você já teve a impressão que a vida de todo mundo vai pra frente e a sua não?
Já se perguntou por que você não consegue isso ou aquilo?
Alguma vez já pensou que você anda, anda e parece estar sempre no mesmo lugar?
Há muita e muita gente assim, que dá passos e mais passos e não avança.
São pessoas atracadas a algum porto e que ainda não conseguiram se libertar.
Não adianta, se estamos amarrados a alguma coisa, não dá pra ir adiante.
A corrente pode até nos levar de um lado para o outro, as tempestades nos atingirem e até mesmo o sol e lindas noites de lua, mas não saímos do lugar.
São as amarras da vida, problemas mal ou não resolvidos.
Coisinhas que julgamos pequenas e que deixamos pra depois, mas que, estando no nosso caminho ainda, acabam nos atrapalhando.
Muitas vezes pensamos que "deixar pra lá" resolve e acabamos deixando.
Nos dizemos que o tempo é o melhor remédio e não digo que não seja.
Mas não há remédio que possa funcionar se a raiz do mal continua intacta.
As feridas que carregamos no nosso ser, os relacionamentos doentes, mas deixados para o amanhã, os empregos que não nos dão nenhuma satisfação, fazem com que nossa vida ande devagar, mesmo se o tempo passa e envelhecemos com ele.
Falta-nos coragem para tomar atitudes e é a vida quem decide do nosso destino.
Se você quer, realmente, que sua vida ande enquanto você é jovem o bastante para bem viver, solte as amarras.
Lave a alma do que te atormenta, converse sobre seus problemas com as pessoas envolvidas; no trabalho, se você acha que é seu único meio de sobrevivência e que não pode ficar sem ele, então, mude sua maneira de trabalhar, procure encontrar satisfação naquilo que você faz.
Os horizontes existem para que não percamos a fé, para que possamos sonhar com o que há do outro lado e, quem sabe, seguir nesse rumo.
Ninguém pode evoluir se está aprisionado a alguma coisa.
Se tiver que se apegar, que seja então à vontade de construir algo positivo da sua vida.
Nunca espere pelos outros, nunca olhe para os outros se dizendo por que eles conseguem e você não.
Evite comparar-se com este ou aquele, pois você é uma pessoa única e de qualquer maneira não existe ninguém perfeito, com vida perfeita.
Dando o melhor de si, você vai perceber que seu potencial é muito maior do que você pensa.
Dando o primeiro passo, que geralmente é o mais difícil, os outros se seguirão.
E se você acha que sozinho não vai conseguir, há um Libertador que pode ouvir seu pranto, segurar sua mão e te ajudar.
"Deus é a verdade que liberta."
Solte as amarras da sua vida, sejam elas quais forem, uma a uma, devagarinho.
Depois navegue...e seja muito, muito feliz!"

Letícia Thompson

domingo, 19 de setembro de 2010

Os não ditos...

As palavras às vezes cortam como uma faca e de maneira irrefletida ferimos os outros, mesmo se os amamos, sem que haja retorno. Conscientes disso é que em muitos dos casos, nos calamos, quando tudo o que pensamos e sentimos nos queima por dentro.
Essas coisas são os não ditos das relações e da vida.

As palavras que não dizemos, mas não enterramos também, estão sempre entre nosso coração e nossa garganta e nos ferem interiormente. São opções que fazemos, seja para não machucar outras pessoas, seja, simplesmente, pela falta de coragem de sermos nós, inteiros e límpidos.

A comunicação é a base de todo relacionamento saudável. Pessoas que se amam, que seja na amizade, no amor ou nas relações familiares, devem estar prontas para serem quem são, para perdoar e receber perdão.

Não nos calaríamos tanto se soubéssemos que o outro nos ouviria com a alma, nos entenderia e continuaria a nos amar, apesar de tudo. Mas as pessoas, por mais maduras que pareçam, nem sempre estão prontas para ouvir as verdades, se essas forem doloridas. Assim são criadas as relações superficiais, onde pensamos tanto e falamos de menos, onde sentimos e sufocamos.

Nos falta um pouco de humildade para aceitar nossa imperfeição, aceitar que o outro possa não gostar de algo em nós e ter o direito de dizê-lo. Nos falta a ousadia de sermos nós, sem essa máscara que nos torna bonitos por fora e doentes por dentro.

A comunicação na boa hora, com as palavras escolhidas e certas, consertaria muitos relacionamentos, sararia muitas almas, tornaria as pessoas mais verdadeiras e mais bonitas.

Sabemos que as pessoas nos amam quando nos conhecem profundamente, intimamente e continuam nos amando. Quando com elas temos a liberdade e coragem de dizer: isso eu sinto, isso eu sou.

Letícia Thompson

Um Homem Também Chora

Quando o pai voltava do trabalho, o garotinho corria com os braços abertos em busca de um abraço aconchegante.
Mas, o pai, acostumado à educação rígida e equivocada do início do século vinte,ia logo dizendo: “homem não abraça homem”.
O menino ficava sem saber o que fazer com a vontade de demonstrar seu afeto e carinho àquele a quem amava e admirava.
Isso lhe causava extremo desconforto, mas foi se acostumando a não abraçar o pai,e nem chorar, pois “homens não choram”, segundo a mesma educação que recebia.
Sempre que algo o infelicitava, prendia o choro na garganta e corria para os braços
da mãezinha dedicada, a quem podia abraçar sem medo de ser menos homem.
Esse conceito ancestral, infelizmente, ainda é muito comum nos dias de hoje.
Muitos filhos homens não se sentem à vontade para abraçar seus pais e, menos ainda, para beijá-los.
Aquele garoto, que agora já está com mais de 75 anos de idade, conta que foi muito difícil conviver com a dificuldade de extravasar seus sentimentos com quem quer que fosse.
Não conseguia abraçar os amigos, não conseguia chorar graças às orientações que recebera na infância.
Diz ele, que só conseguiu vencer essa barreira, com muito esforço, há pouco tempo.
Hoje ele consegue se entregar num abraço sem medo de ser feliz.
Mas chorar em público é algo que procura evitar, pois a frase ouvida muitas vezes na infância, ainda o persegue: “homens não choram”.

Mas a lógica nos diz que os homens também podem e devem chorar, sem que isso os diminua como homens.
Homens que se privam de extravasar suas dores e tristezas pelas lágrimas, geralmente arrebentam o coração em enfartes fulminantes.
O que faz um ser humano ser digno não é o fato de deixar de chorar, ou de evitar se envolver num abraço.
O que dá dignidade a um homem é a sua capacidade de amar, de se entregar, de se deixar levar pela emoção sadia.
O cancioneiro popular, Gonzaguinha, retratou, através da música guerreiro menino, essa realidade:

Um homem também chora...
Também deseja colo... Palavras amenas
Precisa de carinho, precisa de ternura
Precisa de um abraço da própria candura
Guerreiros são pessoas, são fortes, são frágeis
Guerreiros são meninos no fundo do peito
Precisam de um descanso
Precisam de um remanso
Precisam de um sonho que os torne refeitos
É triste ver este homem guerreiro menino, com a barra de seu tempo por sobre seus ombros eu vejo que ele berra, eu vejo que ele sangra a dor que traz no peito, pois ama e ama.
Um homem se humilha, se castram seu sonho
Seu sonho é sua vida, e a vida é o trabalho
E sem o seu trabalho um homem não tem honra
E sem a sua honra, se morre, se mata.

Pense nisso!

Hombridade não é sinônimo de dureza.
O homem é um espírito temporariamente mergulhado num corpo masculino, mas é um filho de Deus como outro qualquer.

Um homem também chora...
Um homem também sente saudade...
Um homem também se entristece quando parte um ser querido..
Um homem também se equivoca, também de arrepende, também se sente só muitas vezes.

E, às vezes, a única maneira de aliviar um pouco o peito oprimido é deixar que as lágrimas jorrem com vontade.

Paulo de tarso, o incomparável apóstolo, na luta para vencer-se a si mesmo, encontrava nas lágrimas uma forma de desabafo.

Aquele gigante do cristianismo deixava, nas horas difíceis, as lágrimas aliviarem seu coração oprimido.

“A cada gota de pranto era um pouco de fel que expungia da alma, renovando-lhe as sensações de tranqüilidade e de alívio.”

Jesus, o maior Homem de que se tem notícia, também chorou.

Pense nisso, e se sentir vontade ou necessidade, abra as comportas do peito e deixe que as lágrimas lavem e aliviem seu coração, sem medo de ser feliz.

Momento Espírita

Paulo Nunes Jr

Reflexões para a vida

Não destrua seus valores comparando-se com outras pessoas.
É por sermos diferentes uns dos outros que cada um de nós é especial.
Não estabeleça seus objetivos por aquilo que os outros consideram importante.
Só você sabe o que é melhor para você.
Não considere como garantidas as coisas que estão mais perto de seu coração.
Dê atenção a elas como à sua vida, pois sem elas a vida não tem sentido.
Não deixe sua vida escorregar pelos dedos, vivendo no passado ou só voltado para o futuro.
Não desista enquanto você tiver algo para dar.
Uma coisa só termina realmente no momento em que você deixa de tentar.
Não tenha medo de admitir que você é "menos que perfeito".
É esse tênue fio que nos liga uns aos outros.
Não tenha medo de correr riscos.
É aproveitando as oportunidades que nós aprendemos a ser valentes.
Não exclua o amor de sua vida dizendo que ele é impossível de encontrar.
A maneira mais rápida de perder o amor é agarrar-se demais a ele,e a melhor maneira de conservar o amor é dar-lhe asas.
Não despreze seus sonhos.
Viver sem sonhos é viver sem esperança.
Viver sem esperança é viver sem objetivo.
Não corra pela vida muito depressa.
Apressa pode fazê-lo esquecer não só onde você esteve,mas também para onde você vai.
A Vida não é uma competição, mas uma jornada, e cada passo do caminho deve ser saboreado.

Eduardo Manciolli

Postagens Recentes