Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Do que empobrece a alma.

Desde criança sinto esta energia esquisita. Sempre senti que as pessoas estão competindo uma com as outras o tempo todo. Conheci pouquíssimas pessoas na minha vida que eu percebia que realmente torcem e querem o bem e a evolução do outro. Encaro como pobreza de espirito essa necessidade que um indivíduo tem, e o prazer que sente, de querer ser melhor do que o outro.

E quem tem esse furor por superar a todos, inclusive amigos, não são pessoas que devemos ter em nosso ciclo de amizades. Afinal que relação é essa que existe não pelo afeto ou afinidade, mas pela competição. E assim infelizmente sobra muito pouca gente para serem nossos amigos.

As pessoas são criadas para serem melhores do que os filhos do vizinho, do que os colegas de classe, do trabalho, de qualquer lugar, porque seus pais entendem que se destacando dos demais só assim seus filhos terão valor, respeito e principalmente, privilégios.

Ocorre que a competição ocupa o espaço do respeito, que a concorrência ocupa o espaço do amor. Em qualquer tipo de competição, o que existe é a desvalorização da capacidade do outro. É a ocultação a qualquer custo da admiração substituindo-a pela inveja. E a inveja nasce da incapacidade de admirar, nos outros, o que eles têm ou conseguem.
Nada empobrece mais uma alma do que a inveja.


Andre Luis Aquino

Nenhum comentário:

Postagens Recentes