Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sábado, 27 de agosto de 2011

A Virtude

Para falarmos da virtude é preciso primeiro defini-la como sendo a boa qualidade moral, disposição habitual para a prática do bem, é a retidão, a austeridade, enfim, virtude é o conjunto sublime de todas as boas qualidades como: a humildade, a paciência, a resignação, o perdão, o amor ao próximo e principalmente a fé.

E sabendo nós que a soma dessas qualidades representa o nosso passaporte para mundos mais felizes, às vezes nos deparamos com uma pergunta a interrogar o nosso íntimo: quantas dessas qualidades, virtudes, nós já possuímos? Qual seria a maior das virtudes? Ser virtuoso não é fazer o bem porque isso nos eleva ser virtuoso é fazer o bem pelo bem, naturalmente.

Se procurarmos olhar essas virtudes e qualidades através do olhar racional veremos que as imperfeições são muitas, porque existe um interesse camuflado, mas se olharmos com o coração veremos que a maior das virtudes é reconhecida no esforço que se faz para se encontrar com Deus nosso Pai, e isso consiste no sacrifício do interesse pessoal para o bem do próximo.

E após encontrá-lo em nossos corações é procurar Nele as verdadeiras razões de amor, de moral e crescimento para seguirmos sempre adiante e, com humildade e consciência saber que fazemos parte da verdadeira criação, que nosso Pai nos fez semelhante a Ele e, portanto, somos todos iguais, independente da religião, da posição social que ocupamos, se somos ricos ou pobres, pois a Seus olhos somos todos irmãos.

Não importa se nos vestimos como príncipes ou como um mendigo. E isso nos traz à lembrança a história de um príncipe, orgulhoso de sua realeza, que certo dia foi caçar em lugar montanhoso e afastado de seu castelo. A certa altura de seu caminho, viu um velho eremita, sentado diante de sua gruta, e muito atento a considerar uma caveira que tinha nas mãos.

Indignado por não lhe ter o velho dado a menor atenção, nem sequer levantado os olhos para a luzida companhia de caçadores, o príncipe aproximou-se dele, e disse-lhe, entre rude e zombeteiro:

— Levanta-te quando por ti passa o teu senhor! Que podes ver de tão interessante nessa pobre caveira, que chegas a te abstrair da passagem de um príncipe e tantos poderosos fidalgos?

O eremita, erguendo para ele os olhos mansos, respondeu, em voz singularmente clara e sonora:

— Perdoa senhor. Eu estava procurando descobrir se esta caveira tinha pertencido a um mendigo ou a um príncipe, mas não consigo distinguir de quem seja. Nestes ossos nada há que me diga se a carne que os revestiu repousou em travesseiros de plumas ou nas pedras das estradas. Eu não saberia dizer se devia levantar-me ou conservar-me sentado diante daquele que em vida foi o dono deste crânio anônimo.

O príncipe, cabeça baixa, prosseguiu seu caminho, mas a caçada não teve, naquele dia, qualquer encanto para ele. A lição da caveira abatera-lhe o orgulho, que é o maior inimigo das virtudes, pois ele deslustra, encobre as virtudes que porventura possamos ter adquirido.

E Deus nos deixa a eternidade para refletirmos sobre isso, para fazermos de nossos vícios, nossas imperfeições, a cada dia, a cada instante, um instrumento que servirá para o nosso crescimento. E ao olharmos para o nosso íntimo e verificarmos que essas imperfeições são muitas, vamos lembrar nosso Mestre Jesus quando disse que seu jugo é suave e seu fardo é leve, e que Deus nosso Pai jamais dá um fardo superior as nossas forças, podemos lembrar, ainda uma frase de Emmanuel, psicografada por Francisco Cândido Xavier “ainda que não possas marchar livremente com teu fardo, avança com ele para frente, mesmo que seja um milímetro por dia”.

Quando perguntaram a Jesus qual é a maior das virtudes Ele respondeu que é a fé, a fé que transporta montanhas, Ele disse, ainda, que se sua fé for do tamanho de um grão de mostarda, menor grão que existe, poderá fazer tudo que Eu fiz e muito mais.

Sérgio Honório da Silva

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Vontade de Deus

Em nossa caminhada na Terra, nos deparamos com dificuldades de diversas ordens. São as doenças que nos chegam inesperadamente, os reveses financeiros, os desentendimentos pessoais, perdas de parentes e amigos.
Nesses momentos nossa fé é colocada à prova, pois muito do que nos acontece nos escapa à compreensão. Através de questionamentos íntimos, buscamos incessantemente a causa do que nos aflige e, por vezes, não a encontramos.
Perguntamo-nos qual a melhor conduta a adotar nessas situações. É certo que devemos buscar as providências práticas necessárias para tentar superar, na medida do possível, essas dificuldades.
Mas, quando carregamos em nosso íntimo a fé verdadeira, qualquer que seja o caminho escolhido para ser percorrido na busca das soluções, com certeza, se tornará menos árduo.
A fé nos ensina que Deus é Pai bondoso e misericordioso e que só deseja o nosso bem. Melhor do que nós, sabe o que nos convém.
Quando, na oração dominical, rogamos ao Pai que seja feita a vontade Dele, estamos nos submetendo aos Seus decretos.
Mas, somente nos submeteremos à vontade de Deus sem queixas e sem revoltas, quando compreendermos que Deus é fonte de toda sabedoria e que tudo que nos acontece tem um propósito.
A vontade Divina se manifesta em nosso favor, desde as pequenas contrariedades do dia-a-dia, até nos grandes problemas que, por vezes, julgamos sem solução.
A luta é necessária para nosso crescimento e a superação das dificuldades nos deixa mais fortalecidos.
Para transformar o barro em um perfeito vaso, o oleiro necessita do calor do fogo, usando a sua chama com todo cuidado e carinho.
O sofrimento e a luta são as chamas invisíveis que o nosso Pai Celestial criou para o embelezamento das nossas almas que, um dia, serão vasos sublimes e perfeitos para o serviço do céu.
Podemos discernir a vontade de Deus, em todas as situações:
No sofrimento, é a paciência.
Na perturbação, é a serenidade.
Diante da maldade, é o bem que auxilia sempre.
Perante as sombras, é a luz.
No trabalho, é o devotamento do dever.
Na amargura, é a esperança.
No erro, é a corrigenda.
Na queda, é o reerguimento.
Na luta, é o valor moral.
Na tentação, é a resistência.
Junto à discórdia, é a harmonia.
À frente do ódio, é o amor.
No ruído da maledicência, é o silêncio.
Na ofensa, é o perdão completo.
Na vida comum, é a bondade em favor de todos.
O objetivo da prece consiste em elevar a nossa alma a Deus. O importante é que ela seja sempre dita de coração e não somente dos lábios.
Quando utilizarmos a oração dominical, o Pai Nosso, que nos foi ensinada por Jesus, o façamos de todo o nosso coração. Que o sentido de cada palavra toque verdadeiramente a nossa alma.

Redação do Momento Espírita, com frases da pt. 4, do livro Pai nosso, pelo Espírito Meimei,psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sinceridade

Aqueles que dos planos de luz têm a incumbência de nos orientar e dirigir por certo não esperam de nós perfeição absoluta. Sabem que estamos presos à matéria e sujeitos ao seu campo vibratório. Pedem-nos apenas sinceridade naquilo que fazemos. Se em nosso caminho nos afastarmos das experiências que nos servirão de ensino, eles, a tempo, nos farão retroceder e entrar no verdadeiro caminho. Se palmilharmos atentos a estrada certa, alcançaremos o conhecimento que viemos para adquirir.
Portanto, é a sinceridade que nos recoloca diante do verdadeiro dever.
Enquanto encobrimos nossa face com a máscara das aparências, ainda que o mundo nos coloque num pedestal, nossa permanência aí será efêmera como são efêmeras nossas considerações pessoais.
Não é o ato simplesmente que é julgado pelos seres maiores da espiritualidade, mas o sentimento que impulsionou o ato.
É fácil parecermos gentis e ostentarmos certas atitudes espiritualizadas; o difícil é agirmos em consonância com princípios que nas nossas relações diárias nos harmonizem com nossos semelhantes, embora nem sempre sejamos aceitos.
A sinceridade tem o dom de desagradar aqueles que ainda estão ligados a do mundo, que esperam lisonjas e desejam aplausos. A criatura sincera não se permite satisfazer a esses caprichos. Isso a leva a ser afastada do caminho dos que ainda vivem exclusivamente para ilusões vazias de sentido.
Não precisamos ser rudes, mas devemos manter intactas nossas convicções. Importa sermos sinceros, sem condenações às ideias de ninguém.
Inútil e ridícula, também, é a atitude de superioridade sobre os demais, como se todos estivessem errados.
Só a sinceridade em nossos esforços nos credencia diante dos que nos guiam a evolução.
Agir apenas com o propósito de agradar aos outros é condenarmo-nos à eterna escravidão.

de “Vem!..., de Cenyra Pinto

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Isso se chama amor...

Você surgiu como suave melodia trazida pela brisa; dilatou-se no silêncio de minha alma e fez-se moldura em meu viver.
Isso se chama ventura.
Há algo em você que transparece num olhar, como estrela no céu atapetado de astros e exterioriza-se num sorriso como canção tocada na harpa dos ventos.
Isso se chama ternura...
Sem olhar, você me percebe; sem falar, você me diz; sem me tocar, você me abraça...
Isso se chama sensibilidade.
Quando me perco em labirintos escuros, você me mostra o caminho de volta...
Quando exponho meus tantos defeitos, você faz de conta que não nota...
Se enlouqueço, você me devolve a razão...
Isso se chama compaixão.
Nos dias em que as horas passam lentas, sem graça e sem luz, nos seus braços eu encontro alento.
Quando os dias alegres de verão partem e em seu lugar chega o outono, cobrindo o chão com folhas secas, e o verde exuberante cede lugar ao cinza, nos seus braços encontro harmonia.
Isso se chama aconchego.
Quando você está longe, no espelho da saudade eu vejo refletida a certeza do reencontro.
Nas noites sem estrelas, quando a escuridão envolve tudo em seu manto negro, você me aponta a carruagem da madrugada, que vem despertar o dia com suas carícias de luz...
Isso se chama esperança.
Quando as marés dos problemas parecem tragar em suas ondas as minhas forças, em seus braços encontro reconforto.
Se as amarguras pairam sobre meus dias, trazendo desgosto e dor, sua presença me traz tranqüilidade.
Você é um raio de sol, nos dias escuros...
É ave graciosa que enfeita a amplidão azul...
Você é alma e é coração.
É poema e é canção...
É ternura e dedicação...
Nada impõe, tudo compreende, tudo perdoa...
Sua companhia é doce melodia, é convite a viver...
... E tudo isso se chama amor!
Surge depois que as nuvens ilusórias da paixão se desvanecem.
Que a alma se mostra nua, sem enfeites, sem fantasias, sem máscaras...
Enfim, o amor é esse sentimento que brota todos os dias, como a flor que explode de um botão, ao mais sutil beijo do sol...
Isso, sim, se chama amor...

Redação do Momento Espírita.

domingo, 21 de agosto de 2011

Imortalidade

Quanto tempo os homens procuram e procuram...
...Procuram viajar no tempo,
Tentam encontrar meios de rever o passado
E conhecer o futuro...

Quanto tempo os homens procuram...
... Procuram meios de viajar pelas galáxias,
Encontrar o começo para fazer o recomeço,
Encontrar vidas inteligentes,
Iguais ou mais avançadas que as da Terra.
Quanto tempo os homens procuram a eterna juventude, a imortalidade.

Quanto tempo os homens procuram...
...A imortalidade está na alma que viaja pelo tempo...
Nossas viagens estão nos sonhos que nos transportam para todos os tempos...
A inteligência está na sobrevivência e na manutenção de qualquer forma de vida...

Procuramos o que já temos: a imortalidade e a eterna juventude de nosso legado
Quando amparamos as crianças que protegemos e os idosos que afagamos,
A imortalidade está no que deixaremos eternamente como Poetas del Mundo
- Através dos poemas e escritos -

Nossa imortalidade estará no que construímos hoje
Pregando a Paz, a compreensão entre os Homens e a preservação do Planeta,
De forma firme conduzimos nossos sonhos
Nos levando juntos à novos sonhos...
Já somos imortais.

Aparecido Donizetti Hernandez

Postagens Recentes