Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Sentir...

Sentir...
Rubia A. Dantés


Muitas vezes deixei passar aquela sensação que queria me avisar de alguma coisa... porque a razão muito ardilosa e cheia de truques me fazia não dar atenção...
Mas agora... a razão só me pega por descuido, porque percebo como podemos nos guiar por um sentir que pode ser bem sutil... mas muito profundo... e sempre me guia para onde minha Alma quer me levar...

A nossa Alma estabelece uma comunicação que vai ficando cada vez mais perceptível e vamos aprendendo a “sentir” quando uma coisa é ou não favorável... esse sentir pode nos guiar pela vida como um radar... que não tem a ver com a razão...

A nossa razão tem argumentos para tentar nos manter dentro dos limites do que conhecemos e a nossa Alma quer nos levar a ultrapassar esses limites... ampliando as nossas possibilidades...
Para seguir com a Alma é preciso coragem, avançando sem garantias e disposição para encontrar o nunca pensado... É claro que dá um frio na barriga e uma insegurança de abandonar o que aparentemente nos dá segurança... Mas as coisas que pensamos nos darem segurança, pelo domínio da razão... vão caindo por terra, uma após a outra... e chega um ponto onde só nos resta buscar a segurança da Alma... A partir daí, sempre voltamos para Ela...

Percebemos que seguir o sentir que vem da Alma sempre nos leva a estarmos mais presentes... e a vivermos cada momento com integridade

No silêncio das palavras cala-se também a voz dos medos e, do vazio, surgem estradas de possibilidades inesperadas...

Adoro o inesperado... quando já cansei de tudo que está limitado... Então dá uma sede do novo... do ainda não pensado...

Temos a mania de limitar tudo e de classificar... provar... como se com isso pudéssemos segurar o tempo...
Doce ilusão... esse tempo que tentamos segurar nem existe. Só existe na prisão da nossa mente.
Mas, além dessa prisão, existe muito mais... muito mais...

A cabeça pensa... pensa... e dá muitas voltas em torno dos mesmos e tão visitados caminhos... mas o coração sente... e nesse sentir pode nos levar à tão sonhada liberdade... ao nos guiar para longe desses círculos viciosos que a mente tenta nos impor...

Vamos sentir mais... vamos escutar mais a voz da Alma... dar mais espaço para que o inesperado possa se manifestar... ninguém precisa seguir caminhos já traçados e já percorridos... porque eles costumam nos prender, pois já foram limitados e delimitados, quase não deixando espaço para a criação...

Vamos perder o controle... é justamente quando perdemos o controle que encontramos o que mais buscamos...
Que tênue é esse limite entre perder o controle e se encontrar...

É que a gente se esquece às vezes que existe muito mais realidade além dessa nossa...

Tentar colocar dentro dos limites das palavras e das explicações experiências que não cabem aí... faz com que fiquemos só até onde as palavras e explicações podem nos levar...

Quando as palavras calam o sentir pode nos levar muito além delas...

Calar... Consentir... sentir... Ser...

Nenhum comentário:

Postagens Recentes