Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

A sensível diferença entre Amor e Dependência

A sensível diferença entre Amor e Dependência
Roberto Dantas


É difícil perceber a diferença entre quando estamos amando e quando estamos dependentes de um relacionamento.

A dependência é um aspecto natural do ser humano que desde o nascimento tem a necessidade de alguém que lhe ofereça tudo o que precisa, não só no aspecto físico: comida, asseio, mas também os estímulos necessários para desenvolver seu psiquismo. A isso chamamos de função materna, não necessariamente exercida por uma mãe, ou
mesmo mulher; assim, independendo de sexo esta função pode ser exercida por qualquer indivíduo que esteja mais próximo do bebê. Mas essa dependência que é natural, benéfica e saudável nesta fase da vida, pode se manter e não ser transposta, fazendo com que o indivíduo repita padrões de comportamento por toda a vida.

A dependência é um assunto delicado, pois é difícil perceber a linha tênue que
separa o amor da dependência, principalmente quando estamos dentro de um relacionamento. A simbiose que se cria entre dois parceiros, que pode ser benéfica em momentos bons da vida do casal, pode se tornar um martírio quando o relacionamento não mais acrescenta a nenhum dos dois, e pior ainda se estiver estabelecido uma relação de dependência ou co-dependência.

Muitos casais, onde pelo menos um dos parceiros sofre deste mal, têm dificuldades em encarar a separação. Muitas vezes o parceiro dependente usa de chantagens emocionais ameaçando o outro e ameaçando a própria vida para evitar a separação. Frases como "Não posso viver sem você", "Minha vida sem você não tem sentido", são muito bonitas em poesias e nas telas de Hollywood, mas em alguns casos pode ser muito preocupante na vida real quando vinda de um dependente emocional.

Esta dependência já se evidencia em muitos casos durante o namoro. Ao primeiro sinal de término, o indivíduo dependente já muda totalmente, perde o equilíbrio, vai parar num leito de hospital, e a outra pessoa acaba caindo na isca da chantagem emocional do dependente, muitas vezes confusa em seus sentimentos. Muito comum nesta situação, é o outro confundir pena com amor e acabar voltando atrás na atitude que tomara em separar ou terminar o relacionamento com o dependente.

Daí pra frente será uma vida de repetições desse padrão de vitimismo do dependente, ameaças, confusões, e muitas vezes o parceiro(a) acaba por acreditar que é seu carma passar por esta situação, que precisa resgatar alguma coisa de vidas passadas com o dependente e perpetua a dinâmica pra vida toda, vivendo infeliz e preso(a) ao dependente, simplesmente por culpa e por não ter consciência de seu papel nesta dinâmica.

Dependência tem cura? Cada caso é único assim como somos nós seres humanos. Um trabalho terapêutico profundo e consistente, agindo na reelaboração do inconsciente deste indivíduo para que haja mudanças "de dentro pra fora", pode ajuda-lo a mudar padrões internos e a viver de forma saudável e desapegada, um relacionamento saudável e feliz a dois.

Nenhum comentário:

Postagens Recentes