Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

O que virá?

O que virá?


Quantas vezes nos sentimos um pouco perdidas.... buscando por algo que nem sabemos o que é...
Parece que de repente tudo pára de fazer sentido naquela forma que era até então... e nos vemos em um tipo de encruzilhada onde temos que optar pelo novo... mas nem sabemos por que optar... porque nada ainda se manifestou no nosso horizonte. O que sabemos é que, da maneira que fomos até agora, não dá mais para ser. Algo dentro da gente mudou tão profundamente que o que nos satisfazia não satisfaz mais...

Era mais ou menos assim que me sentia faz uns três dias... com tanta sede do novo e sem ter nenhuma idéia de por onde começar, que quando me deitei me vi por um momento sem perspectivas... o ciclo tinha se fechado de forma muito clara e muito sinalizada, mas o novo ciclo ainda não havia se manifestado...

Mas a sede por mudança era tão grande... que um tipo de insatisfação foi tomando conta de mim.... busquei ficar quieta, uma vez que senti que não era o mais sábio agora me deixar levar por essa agitação... mas nada.... parecia que tinha um movimento dentro de mim prestes a romper com o que limitava....
Fechei os olhos e relaxei tentando entrar em silêncio...

Foi quando me vi como se estivesse separada de mim... vi a minha imagem no meu mundo... no mundo que de alguma forma ajudei a criar ao meu redor...
Vi meu quarto e tudo ao redor dele... o bairro... a cidade... e essa visão foi se ampliando até que a partir do meu quarto eu via a representação de quase tudo que estava dentro dos meus conceitos de mundo.
Eu me via e via aquilo tudo... e sentia uma vontade grande de mudar tudo...

A sensação de insatisfação com aquela visão de mundo... e de mim naquele mundo... foi ficando tão incômoda, que de repente me vi pegando o chão do meu quarto, como se fosse um tapete de tecido e... puxando-o com força, fazendo tudo cair por terra... tudo desmoronou, como um dominó... a um simples puxão tudo começou a cair por terra... os prédios.... minha casa... meu mundo até então... E, à medida que eu puxava mais e mais o chão, esse efeito dominó ia se ampliando até que nada ficou no lugar...
Só um vazio...
E um alivio enorme...

Desse vazio veio uma energia suave que sinalizava que não tinha mais volta... nada mais seria como antes porque o antes não mais existia.

E o mais incrível é que eu sentia um alívio enorme de me desapegar de tudo que até então me tinha dado uma ilusão de sustentação...

Sei que preciso ficar um tempo nesse vazio... até o novo chegar... ficar completamente receptiva ao Grande Mistério... vazia de tudo que fui até agora...

Se criar expectativas de como as coisas deveriam acontecer, posso criar realidades com essas expectativas...

Vou cuidar para ficar vazia de expectativas para ser cada vez mais receptiva aos desígnios do Universo... ficar quieta e calada, para sentir nas emanações do silêncio... o sopro da Criação... e para que se cumpra a vontade do Criador em minha vida...

Rubia A. Dantés

Nenhum comentário:

Postagens Recentes