Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

domingo, 3 de outubro de 2010

A Graça

A maioria dos seres humanos tem dificuldade em entender como age a lei da graça. Alguns consideram a graça de Deus um presente que, por alguma razão, encontra-se disponível apenas para poucos privilegiados.

Entretanto, a graça é algo disponível para aqueles que acreditam nela com a totalidade de seu ser. Não existe uma regra ou uma fórmula mágica para fazer com que se manifeste em nossa vida.

Ela surge como resultado de nossas próprias atitudes e da maneira como nos relacionamos com o divino. Não basta pedir a Deus para que as coisas aconteçam, precisamos fazer a parte que nos compete. Ora, dirão alguns, eu já fiz tudo o que estava ao meu alcance e nem assim alcancei o que necessitava.

Porém, fazer a nossa parte nem sempre significa apenas agir no aspecto exterior, existe uma misteriosa lei que rege a nossa relação com Deus e que se expressa através da confiança.

É aí, que, acredito, falhamos na maioria das vezes no que compete a nós. A confiança não é uma palavra vazia, ela é um sentimento profundo, uma certeza inabalável de que a resposta virá, no seu devido tempo.

O problema é que, na maior parte das vezes, desejamos que ela se manifeste imediatamente, visto que nossas necessidades, ditadas pelo ego, são sempre urgentes.

E quando ela não vem no prazo que gostaríamos, passamos a duvidar de que Deus esteja disposto a nos ajudar. Em muitos momentos nos sentimos verdadeiramente preteridos ou abandonados por Ele, injustiçados por não ver respondidas as nossas súplicas.

Seja o que for que a vida nos reserve, tem um propósito único: o de nos ensinar algo, que nem sempre conseguimos enxergar. Se cada acontecimento contém em si uma lição, só nos resta refletir, sobre o que precisamos aprender com aquele fato. E se ele se repete por muito tempo, talvez seja porque ainda nos recusamos a perceber o aprendizado que precisamos aceitar.

A aceitação é, sem dúvida, uma das mais complexas lições de nossa vida, mas sem ela dificilmente conseguiremos estabelecer as condições necessárias para receber a graça divina.

"O real se torna disponível somente quando você trabalha por ele com sua totalidade.

Mas lembre-se, eu não estou dizendo que o real se torna disponível somente através do seu trabalho... há um paradoxo nele. Você tem que trabalhar duro; não acontece pelo seu trabalho sozinho. Ele acontece pela graça...

Você trabalha duro - nunca acontece sem o seu trabalho duro, é uma coisa certa. Acontece somente quando você trabalhou duro - mas somente cria a situação para acontecer. Não é como causa e efeito. Não é que você esquenta a água a cem graus e então ela evapora - não é isto.

É uma segunda lei, uma lei da graça, totalmente diferente. Você trabalha duro, você vem para a posição cem do grau, então, você espera lá - pulsando, esperançoso, vivo, feliz, celebrando, cantando, dançando. Você espera lá no ponto do centésimo grau.

É uma necessidade, você deve vir para o ponto do centésimo grau - mas agora você tem de esperar, você tem de esperar paciente e amavelmente. Quando o momento certo vem, quando seu trabalho está completo e sua espera também está completa, então a graça desce.

Ou, você pode dizer que a graça ascende - ambos significam o mesmo, porque ela vem do mais profundo centro do seu ser. Parece descendo porque você não conheceu a sua mais intima profundidade, até agora. Parece como se algum lugar acima viesse para você - vem realmente de algum lugar dentro de você. Mas o interior é também o além.

Trabalho duro é necessário para alcançar a graça, mas a coisa real finalmente acontece somente por causa da graça. É um paradoxo. É difícil compreender.

Por causa deste paradoxo, milhões de pessoas têm perdido seu caminho. Há muitos que dizem - e eles são muito lógicos, sua lógica é impecável - há muitos que dizem, se vem somente pelo nosso esforço, então porque se preocupar sobre a graça e Deus?

Se acontece somente pelo nosso esforço, então ok, nós faremos todo o esforço e nos faremos acontecer. Então, eles não falam a respeito da graça ou de Deus. Eles perderão porque nunca acontece somente pelo seu esforço.

Então há pessoas que dizem que se acontece somente pela graça e nunca acontece pelo seu próprio esforço, então porque se preocupar? Nós precisamos esperar - e quando Deus vier, acontecerá.

Ambos perdem. Uns perdem por causa do egoísmo - somente meu esforço é suficiente, somente eu sou suficiente. Os outros perdem por causa da preguiça, da letargia. Ambos perdem.
Aquele que chega em casa segue o caminho paradoxal. Isto é o paradoxo.

"Eu tenho que trabalhar duro. Não somente duro, eu tenho que colocar o meu ser totalmente, como sustentação. Somente, então, eu me torno capaz de receber a graça. Mas acontece através da graça.

Um momento vem quando eu tiver feito tudo o que eu posso fazer, e então eu rezo que agora nada mais é possível do meu lado, agora algo é necessário do outro lado. E Deus começa trabalhar sobre você somente quando você tiver feito tudo que você podia fazer. Se algo ainda estiver faltando e uma parte do seu ser ainda não estiver envolvida, então Deus não pode vir ajudá-lo. Deus ajuda somente aqueles que ajudam a si mesmos.

Este é o paradoxo... ele trabalha duro, e ainda confia que o último florescimento virá somente pela graça de Deus.

E é bonito. Nós somos muito pequenos, nossos esforços não podem criar muito. Nosso fogo é muito pequeno - somente através deste fogo nós não podemos colocar toda a existência em chamas.

Nós somos apenas gotas, não não podemos criar oceanos a partir destas gotas. Mas... Quando a gota relaxa, torna-se capaz de conter oceanos em si. Ela é pequena, se você olha apenas sua periferia, é tremendamente vasta se você olha a partir do seu centro.

Elisabeth Cavalcante

O homem é ambos. O homem é o paradoxo. Ele é a menor partícula da consciência: atômico, muito atômico. E ainda contém o vasto. Todo o céu está contido nele.

OSHO- - The Art of Dying

Nenhum comentário:

Postagens Recentes