Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Nunca é tarde para mudar

Sabe aquela conversa: “Eu não consigo fazer isso, eu não consigo fazer aquilo?”.
Recebo muitos e-mails com esse tipo de queixa e sempre respondo assim: “Nunca é tarde para mudar! Basta querer!”.
Puxa, dirão vocês, mas se nós temos um temperamento que é determinado pelo momento do nosso nascimento, como fazer para modificar a sua influência quando ele nos faz pensar ou agir negativamente?
É verdade, quando nascemos, no mesmo instante em que nós respiramos, as estrelas nos enviam uma determinada combinação energética que irá se impregnar em nosso cérebro. Nosso comportamento futuro será conseqüência de nossas escolhas, mas essas escolhas são conseqüências da nossa forma de pensar. Se o nosso pensamento não estiver sob o controle do Eu não conseguiremos fazer nossas escolhas corretamente. E então acabaremos parecendo com aqueles cachorros que se mordem o rabo! Eles correm em circulo e nem percebem o que fazem, pois são movidos simplesmente pelo seu próprio instinto. Porém, se nosso Eu interior tomar o controle da situação, enviar boas vibrações ao nosso cérebro, poderemos mudar nosso comportamento e, desta feita, mudar nossas escolhas.

Imaginem que vocês, como um todo, são como uma carruagem, puxada por quatro cavalos e com um condutor em cima. A carruagem representaria em astrologia o seu corpo físico, do jeito que ele se apresenta e conforme indicado principalmente no Signo Ascendente (e nos planetas da Casa I) onde reside a maior parte de nossa hereditariedade.
Os quatro cavalos representariam nossos instintos básicos (os 4 elementos: Terra - Fogo - Ar e Água) ou seja, os planetas Vênus, Mercúrio e Marte, que comandam a sobrevivência vegetal e animal. Estes quatro cavalos têm em comum um impulso básico único que os faz sobreviver e este é comandado pela Lua. A Lua tem relação com este instinto de sobrevivência que é comum a todos os seres humanos e também aos outros seres vivos. Em astrologia, relacionamos a Lua ao Ego, ou seja, àquela parte de nossa personalidade que é moldada pelo ambiente na sua primeira infância. O condutor do carro representa o seu Eu Interior, ou seja, seu espírito evoluído, quando finalmente você toma consciência de sua própria e única identidade astral.

Quando um astrólogo analisa seu mapa natal, ele examina principalmente estes elementos e determina então quais são seus instintos básicos, como você reage emocionalmente ao mundo exterior, que imagem você tem de si próprio, como você suporta as limitações, qual padrão de identidade é mais determinante para as suas ações. Para conhecer e ouvir o seu Eu interior e se colocar à disposição deste ‘condutor’, devemos primeiramente dominar os nossos quatro cavalos. Caso contrário eles levarão nossa carruagem (corpo físico) ao longo da estrada da vida sem que nós tomemos parte deste trajeto. Seremos simplesmente homens vegeto-animais lutando pela vida, pela sobrevivência física. Mas nosso espírito reside no Eu e não no Ego, e é ele que encarnou no intuito de evoluir.

Portanto, quando você diz “Eu não consigo fazer isso” você já está determinando uma derrota, ou seja, você está entregando sua carruagem aos cavalos! Eles é que levarão a sua carruagem pela vida afora, sem que você consiga freá-los ou dirigi-los. Então, eu lhe pergunto: “È isso que você quer de sua vida?”. Você age condicionado pelos pensamentos negativos que são eles próprios comandados pelo Ego que influencia suas ações e escolhas? Ou é você que controla seus cavalos/instintos e dirige sua carruagem/corpo pela estrada da vida para alcançar seu objetivo? Então, você deixaria um cavalo levá-lo por uma estrada desconhecida sem controlar suas rédeas? A cada vez que você para na estrada, não por sua própria escolha, mas porque os ‘cavalos/instintos’ escolheram fazê-lo, você está deixando o Oponente mandar em você. Ele ganha e você perde. Então, você se sente derrotado e estanca, não quer mais andar porque, afinal, você ‘não consegue’ fazer o que seu Eu interior deseja! Você não evolui espiritualmente.

É muito difícil explicar o complexo mecanismo de que somos feitos e somente se enveredarmos sinceramente no caminho do autoconhecimento é que poderemos mudar nosso comportamento e retornar no caminho da nossa evolução. Precisamos querer muito, querer com paixão para mudar, se assim o desejarmos. E o autoconhecimento requer determinação, persistência e, sobretudo, humildade e sinceridade. Sinceridade, sim, porque muitas vezes não gostamos de reconhecer nossos defeitos, nossas limitações e nossos bloqueios. Sinceridade para reconhecermos quando reagimos sob o comando do Ego e não sob a orientação do Eu. Humildade para podermos dizer, “eu errei, mas posso dar a volta por cima e posso mudar!”. Todos podem mudar! A vida está em constante mudança, já que nada fica estático e cristalizado, por mais que Saturno (O Pai cósmico) nos mantenha atados na lei da materialização. O espírito, mesmo aprisionado na matéria, pode e deve tomar o controle de sua evolução. Se não, que sentido teria estarmos encarnados aqui na Terra?

O Terceiro Princípio Hermético de Hermes Trismegisto diz: “Nada está parado, tudo se move, tudo vibra”. Portanto, nós também vibramos, a vida vibra. Para modificar algo em nossa vida podemos então mudar nossa vibração. Vocês acham que isso é fácil? Não, não é fácil, pois se nos acostumamos a viver numa vibração muito baixa, estaremos sempre sintonizados com ela, e ela nos guiará em nossas escolhas. Mudar de vibração requer conhecimento em técnicas de meditação. O espírito se manifesta através de vibração sutil e a matéria através de vibração mais densa. A gama de vibrações é ampla e a vibração se propaga através do éter. Se emitirmos pensamentos negativos, se pronunciamos palavras rancorosas, nos conectaremos com uma vibração densa e pesada onde somente o Ego pode se manifestar e atrairemos negatividade de todo tipo.
Se pensarmos positivamente, se emitirmos palavras de amor e carinho, estaremos nos conectando com uma vibração mais sutil e o Eu poderá então se manifestar atraindo para nós benesses e bem estar. Podemos começar desde já a mudar nossa vibração. Nunca é tarde demais para começar. Nunca é tarde demais para perdoar, para pedir perdão, para amar, para realizar nossos sonhos! Continuem o seu trabalho seguindo os conselhos do Segredo. Esta é a Lei.

Podemos também aproveitar os fluidos astrais desta semana para ‘começa a mudar’. O céu irá nos ajudar. A vibração desta semana é uma vibração muito forte que os cabalistas chamam de ‘Paixão’! Nada se faz sem paixão! Marte se junta a Urano em Peixes e essa energia é muito útil para efetivar nossas mudanças. Esses dois planetas possuem vibrações que nos tornarão audazes e determinados e, como eles estão no signo de Peixes, que é um signo esotérico por afinidade astrológica, eles podem nos ajudar nessa mudança espiritual.

O Gênio Cabalístico que pode nos ajudar nesta tarefa se chama “Ymamiah”, e é o 52° da Cabala. As letras que compõem seu nome são Ayn, Mem, Mem. Seu salmo para oração é o 07.

Repitam em sua oração: “Anjo Ymamiah, me ajude a fazer vibrar meu coração e espírito com paixão no desejo de mudar para melhor! O Seu nome me dá força para manter sinceridade, devoção, firmeza e determinação na minha intenção de mudar e manter as conexões espirituais!”

Graziella Marraccini
Muita Força Espiritual para todos.
São Paulo, 16 de abril de 2007

Nenhum comentário:

Postagens Recentes