Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

quinta-feira, 27 de maio de 2010

O subconsciente

O subconsciente é uma parte da natureza, tanto universal quanto individual, onde estão armazenados todos os movimentos habituais do ser.

Tudo o que é vivido pela personalidade humana e tudo o que ela tenta expulsar de si sem êxito completo fica como semente debaixo da consciência, pronto para emergir e brotar a qualquer momento.
Último recurso da ignorância é o principal apoio da doença e da morte, o subconsciente sempre repete movimentos não inteligentes e não iluminados. Não dá ouvidos à razão ou as decisões das mente. Por causa dessa natureza obstinada, acredita-se ser impossível mudar o caráter básico da personalidade; contudo, o subconsciente pode ser transformado.

Há quem procure fazer isso por meio da conscientização do que está armazenado nele. Entretanto esse método é perigoso. Buscar inadvertidamente aspectos obscuros em si pode provocar perturbações, inundando o mental e o emocional com matéria espúria, o que tornaria ainda mais difícil a purificação pessoal.

Outros tentam livrar-se de tendências subconscientes pela evasão em experiências, quando as tendências são fortes demais para serem rejeitadas por um ato de vontade. Esse é um dos motivos pelo qual os aspirantes espirituais às vezes voltam à vida comum para esgotar determinadas tendências, pretendendo retornar depois à vida espiritual com o obstáculo eliminado. Mas esse método também é perigoso. Só funciona quando a vontade de alcançar a Meta é muito forte.

Se o aspirante não tiver um propósito bem definido, envolve-se de tal forma com o movimentos adversos que apenas uma luta terrível ou a graça divina serão capazes de liberta-lo.

A maneira mais segura de lidar com o subconsciente é permanecer na parte mais alta da consciência e de lá fazer pressão sobre os aspectos mais densos, para que mudem. É o poder desses níveis mais altos que os transforma. Deve-se, então, conservar uma conexão vigilante com níveis de consciência elevados, ou com os já regenerados, e trazer, por meio deles, a luz e a pureza para dentro dessas regiões inferiores ainda não regeneradas. Mesmo isso deve ser feito com extremo cuidado, sem precipitação, em obediência a uma condução interna e com atitude correta.

É melhor começar por uma experiência positiva, trazendo algo da natureza divina – calma, a luz e a pureza da força divina – para as partes do consciente que têm de ser mudadas; somente quando isso estiver realizado em grau suficiente e quando existir uma base positiva firme, é seguro levantar os elementos subconscientes adversos, até então escondidos, e elimina-los pelo poder da força divina.

Agindo dessa maneira, inevitavelmente colocamos os movimentos mais densos sob a luz da consciência superior a fim de os conhecer e lidar com eles, pois não pode haver mudança completa sem isso. O progresso é então muito mais fácil, mais suave e menos doloroso.

Precisamos saber que o subconsciente é uma base evolucionaria em nós, mas não é a totalidade de nossa natureza oculta, nem tampouco a origem do que somos.

A supraconsciência, e não o subconsciente, é a verdadeira fundação da nossa realidade.

Sri Aurobindo Em Direção à Nova Consciência - Editora Pensamento

Nenhum comentário:

Postagens Recentes