Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Responsabilidade


Um dos principais atributos da maturidade consiste em assumir a total responsabilidade por nossas decisões e escolhas. Quando ainda não alcançamos este estágio, costumamos adiar ou simplesmente evitar as escolhas importantes, por medo das conseqüências.

De modo geral, ficamos paralisados, com a vida em suspenso, estagnada, pelo receio de nos arriscarmos, esperando que alguém decida por nós ou que uma solução mágica surja e nos garanta a certeza de nossa escolha.

Ocorre que nada nem ninguém virá satisfazer esse nosso desejo. Somos nós e somente nós quem precisamos tomar a decisão, fazer a escolha, e pagar o preço que for necessário. Este é um atributo essencial da vida, a coragem de assumir o risco de acertar ou errar.

Não importa qual seja o resultado de nossa escolha, o fundamental é que tenhamos a coragem de dar o passo. Pois ainda que erremos e a decisão se mostre equivocada, podemos revê-la, tomar outra direção. Mas, se isto não for possível, a solução é aceitar que o erro é parte essencial do amadurecimento e aprendizado.

Ficar se culpando por uma escolha equivocada não vai trazer de volta a situação anterior. Por essa razão, é inútil cultivarmos este sentimento, pois ele certamente só nos trará angústia e infelicidade.

A única atitude sensata é seguir em frente, aprendendo com o erro e vendo nele uma oportunidade de crescimento e evolução interior. Assim, se dá a passagem definitiva da imaturidade para um novo estágio, em que a sabedoria e a serenidade sejam predominantes.

"Seja corajoso e solte toda esta bobagem. Não há nenhum inferno e não há nenhum paraíso. Você cria seu paraíso e você cria seu inferno. Não há ninguém em nenhum lugar para punir você ou premiar você... Não há ninguém, você é livre.
Mas eu não estou dizendo que você não pode criar o inferno para si mesmo, você pode. O fundamento é o mesmo.

Ame, alegre-se, celebre, e você criará o paraíso - porque o que quer que você seja, se você é feliz, se você é alegre, você compartilha sua felicidade e sua alegria. Você pode compartilhar somente aquilo que você é - e quando você compartilha, ele ressalta em você. Esta é a lei.

A vida reflete e ecoa - o que quer que você jogue para ela, volta milhares de vezes. Sorria e toda a existência sorri para você. Grite e abuse, e toda a existência grita e abusa de você. E você é a causa raiz; você cria todo o processo.
Não é que a existência está interessada em gritar e abusar de você. A existência é neutra; ela simplesmente reflete, é um espelho. Você faz uma cara feira e você vê uma cara feia no espelho. Você sorri e o espelho sorri.

E lembre-se, os prêmios e as punições não vêem de fora; você os cria. Você é o causador deles, você é o solo. Você é livre -mas liberdade não significa que você é irresponsável. De fato, na liberdade você se torna totalmente responsável- porque você é responsável por si mesmo, ninguém mais é.

Nenhum Deus é responsável por você, você é responsável. Se você está miserável, lembre-se, você deve estar criando isto... Tente descobrir as razões e você as encontrará. Se você está feliz, então também olhe para dentro, por que você está feliz? E siga criando estas situações mais e mais: e você se tornará mais e mais feliz".
OSHO -The Revolution.

Elisabeth Cavalcante

Postagens Recentes