Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Causas das doenças

CAUSAS DAS DOENÇAS.

- SEGUNDO A CIÊNCIA:

Quando nos perguntamos sobre por que adoecemos, é necessário observar que qualquer doença necessita, para surgir, de vários fatores que se conjugam: tendências inatas ou predisposição, educação, cultura, condições de habitat, estado emocional, hábitos, vícios e um estímulo detonador. Como exemplo, analisemos uma crise de rinite. A predisposição somada à exposição aos agentes como poeiras, odores, fungos, ácaros, mudanças climáticas, poluição são fatores suficientes para sensibilizar o nariz (limpar livros antigos, por exemplo, pode ser o estímulo detonador da crise de espirros, coriza, coceira no nariz, etc.).

- SEGUNDO A ESPIRITUALIDADE:

Aceita todos os fatores causais preconizados pela ciência com o diferencial da reencarnação. O indivíduo é herdeiro de suas escolhas feitas em outras vidas, e sua personalidade e defeitos de caráter é que fazem toda a diferença.


FINALIDADES DA DOENÇA

- SEGUNDO A CIÊNCIA:

A Ciência vê a doença como probabilidade ligada a fatores extrínsecos ao indivíduo. Alguns cientistas já aceitam que fatores como o temperamento, por exemplo, podem influenciar em seu surgimento, embora não admitam a responsabilidade pois crêem em heranças ancestrais como fator principal da continuidade do modo de ser.

Tenta-se fugir da responsabilidade que exige mudanças, mantendo o estudo da doença no físico, centrado em sofisticados exames de laboratório.

- SEGUNDO A ESPIRITUALIDADE:

Como foi colocado por Jesus no "Bem-aventurados os aflitos" (Mateus 5:5 e 6, 10), a doença é um motivador para a reflexão. Uma crise que propicia mudanças, redireciona energias, recicla raciocínio, comportamentos, leva à interpretação de sentimentos e sensações e, além disso, à interiorização.

A observação nos mostra que pessoas parecidas em personalidade costumam ter doenças semelhantes, pois cada característica desarmônica produz bloqueio energético que irá se manifestar no órgão físico correspondente, desencadeando doença. Para exemplificar, observemos como as pessoas portadoras de artrite, artrose ou reumatismo são rígidas: têm dificuldade em aceitar novidades, opiniões e visão de mundo diferentes das suas, fixam conceitos de maneira profunda, são críticas contumazes, cobram muito de si mesmas e dos outros, falta-lhes flexibilidade mental/emocional e consequentemente mobilidade. Quem não em flexibilidade mental emocional não terá flexibilidade física.


O SIMBOLISMO DA DOENÇA

- SEGUNDO A CIÊNCIA:

Simboliza apenas sofrimento.

- SEGUNDO A ESPIRITUALIDADE:

Cada tipo de doença e o lugar afetado por ela são recados claros de desajustes em andamento, como auto-sabotagem, carência afetiva, preocupação, ansiedade, medos, temores, tristeza, depressão, frustração, culpa, fuga, etc. Algumas enfermidades costumam se repetir em muitas pessoas. Contudo, por sermos únicos, cada doença é um recado especial e particular. Dessa forma, cada um de nós tem o dever de se auto-observar para progredir e se curar, ativa e definitivamente.

A doença é transformadora. Ao mesmo tempo que mostra defeitos de caráter, ajuda a corrigi-los. Determinada doença aponta intolerância deste; outra o orgulho daquele; outras mais mostram a impaciência, a irritabilidade, a inveja, a ira, a suscetibilidade e a mágoa de vários outros etc.

Ainda necessitamos desse tipo de fato para nos manter vivos, pois a tendência ao suicídio inconsciente é forte, e a moléstia atua como um freio para nos alertar e estimular à reflexão. É como se a natureza estivesse dizendo: "Não como desse jeito! Olhe a gula! Não beba! Não fume! Cuidado com o estresse, a ganância, a inveja, o medo, etc".

Muitas outras são as finalidades das doenças: recicla objetivos da vida, atualiza o cronograma existencial, propicia oportunidades de observar a vida pelo ângulo das conquistas íntimas, desenvolve maturidade para que a saúde não seja valorizada somente por meio da doença, como o desemprego serve para dar valor ao emprego, e a solidão, à solidariedade, pois o homem solidário jamais se encontra solitário etc.

(Do Livro "Saúde ou Doença, a Escolha é Sua"- Américo Canhoto).

Fraternalmente.

Nenhum comentário:

Postagens Recentes