Além do horizonte, existem outros mundos a serem descobertos.
Lá, folhas não caem, elas flutuam.
Lá, o meio de transporte são pássaros que vem até você e com o suspiro de seu amor, neste mundo todos andam de mãos dadas lá é aonde a harmonia toma conta da natureza de todas as espécies viventes.
Lá, não colhemos flores, mas as flores colhem a gente.
Chegou o tempo de despertar e acreditar que esta vida vale apena ser vivida.
-Rhenan Carvalho-

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Entregue-se á pulsação da vida!

As pessoas sentem medo de se expor. Realizar aquilo que sentem que devem fazer, manifestando seu brilho interior, lhes parece perigoso demais. Brilhar é algo assustador.

Enquanto vivem uma vida sem sentido, tudo o que mais querem é sentir o brilho intenso de sua Luz interna se manifestando. Porém, existe um limitador invisível, bloqueando a expansão dessa luz. Isso não é uma força externa, mas um mecanismo interno de defesa, criado para que, quando começarem a brilhar muito, a ponto de correrem riscos, automaticamente esse mecanismo seja acionado, e todo o movimento de expansão e brilho de sua luz, cesse. Quando isto ocorre, parece que tudo o que estavam alcançando, foge de suas mãos e não conseguem mais segurar ou retomar. Simplesmente tudo se vai.

Podemos pensar que isso as deixaria preocupadas. Mas não, apesar de "perderem" aquilo que já estavam conquistando, sentem-se bem. É como se se sentissem mais seguras perdendo tudo, do que quando estavam alcançando resultados satisfatórios.

Se tivessem a verdadeira coragem de descobrir a verdade e se perguntassem por que deixaram tudo se perder, por que esconderam sua luz interna novamente, a resposta seria algo assim: é perigoso demais brilhar e me expor. É assustador. Quando brilho muito, as pessoas à minha volta gostam, me querem e me aceitam. O mundo começa a descobrir minha existência e minha vida - pessoal e profissional -, começa verdadeiramente a fluir. Mas eu sinto que isso não durará, que logo acabará, que algo ruim acontecerá, que perderei tudo. Sempre que conquisto algo, perco em seguida, e isso é muito doloroso. Então, imagine se vier a conquistar algo com meu brilho intenso, em que estarei exposta ao mundo, como sei que fracassarei, o mundo todo assistirá à minha queda. Assim como, em exposição pelo meu brilho, o mundo assiste à minha expansão e elevação, ao perder tudo, o mundo assistirá à minha derrota. É como se eu fosse ser "destruída em praça pública". Não adianta, a crença que tenho é de que se eu me expuser, algo extremamente ruim irá acontecer.

Esses movimentos de expansão e contração da essência divina, são perfeitamente naturais para a existência humana.

Quanto mais as pessoas evoluem, mais se tornam conscientes desses movimentos. Mesmo assim, cada vez que a contração ocorre, ficam muito decepcionadas, pois percebem que, mais uma vez, não conseguiram sustentar seu brilho. Ficam inconformadas, com sua covardia ao tirarem sua luz do mundo, para que ninguém perceba qualquer vislumbre que seja, de sua existência. Isto as preocupa, pois sabem que seu desenvolvimento depende da expansão de sua luz, e que poderão "perder" negócios e pessoas, se se esconderem. Mas, assustadoramente, mesmo com essa consciência, não conseguem voltar a permitir que a mesma expansão mais intensa de seu ser interior, se manifeste como gostariam. Há algo dentro delas, sem que possam controlar, definindo que é mais seguro ficar assim, vivendo de forma mais apática, a viver em expansão. E, impotentes, assistem-se dando as costas ao sucesso, ao desenvolvimento e à evolução. Tem plena consciência desse movimento e nada conseguem fazer para mudar. É algo mais forte do que sua vontade consciente de mudar, de voltar a brilhar. Simplesmente, não conseguem e ficam indiferentes aos resultados negativos ou menos favoráveis, que isso poderá gerar.

Existe alguma saída para mudar isso?

A saída, que trará resultados de mudança dessa realidade interna, é a pessoa buscar encontrar e conhecer essa verdade, e aceitar que esse é um movimento natural para todos os seres humanos. A crença de que brilhar é perigoso, está no inconsciente da maioria das pessoas. A aceitação é o único caminho que poderá levar à mudança deste mecanismo. Se a pessoa resistir a isso e, inconformadamente, não quiser aceitar essa realidade interna, haverá luta. Quanto mais lutar contra algo, mais desse algo terá. Aceitar não significa se entregar como um perdedor, significa não lutar, não criar conflito. Aceitar traz o relaxamento necessário para que, cada vez que houver o movimento de contração, a pessoa possa aproveitar, para levar, para dentro de sua essência, tudo o que ‘aprendeu e conheceu, durante o movimento de expansão. Ao invés de se sentir perdedora, fracassada e deprimida, cada vez que recolher sua luz, deverá aproveitar para refletir sobre a expansão, sobre o prazer que ela traz, sobre o que aprendeu e conquistou, como poderá aproveitar melhor quando um novo movimento de expansão acontecer.

Assim, por estar mais consciente do que realmente está ocorrendo e do significado divino desse movimento, cada vez mais terá coragem de se expor ao mundo e expandir sua luz, oferecendo e manifestando seus dons, seu amor, sua luz interior. Porém, não deverá se expandir, já esperando o momento da contração. Não, isto seria absurdo. O ideal, será apenas se entregar ao movimento de expansão, a esse divino fluxo natural da vida, observando o brilho de sua luz, a alegria acontecendo em seu coração, e a paz que terá durante a realização de suas atividades. Quanto mais se entregar, mesmo que sinta o medo se fazendo presente, mais brilhará. Deverá estar atenta para sentir e perceber tudo o que ocorre enquanto brilha, para que conheça, cada vez mais, a realidade que ocorre quando está em sua Presença divina. A pessoa sentirá muita alegria e, ao mesmo tempo, talvez sinta medo. Mas estará tudo bem. O ideal será estar em expansão, como se fosse durar para sempre, mesmo que sua crença no pior, esteja se mostrando presente. Deverá aceitar também essa contradição.

Se e quando, ao estar em expansão, o movimento de contração começar a acontecer, deverá também haver uma entrega a este. A pessoa, por aceitar e estar consciente dessa nova realidade, conseguirá se entregar à contração, sem luta. Saberá o que está acontecendo e permitirá que ocorra, desejando aprender a superar essas oscilações.

Quanto mais a pessoa aceitar, como algo natural, esses movimentos de expansão e contração, mais tempo ficará em expansão, e menos em contração. Menos medo terá, mais entregue ficará e mais expansão terá. Um movimento será consequência do outro, de forma natural e espontânea.

Enfim, esta é a verdadeira pulsação da vida!

Tudo pulsa, nosso coração pulsa, o Universo pulsa!

Entregue-se a essa divina pulsação e viva feliz!

Teresa Cristina Pascotto

Nenhum comentário:

Postagens Recentes